sexta-feira, 7 de julho de 2017

POR QUE O PASTOR LEÔNCIO AINDA FAZ FALTA?

É muito interessante isso que ocorre em nossa igreja. Já faz um bom tempo que o pastor Leôncio foi chamado para a glória, mas parece que NÃO IREMOS NUNCA NOS ACOSTUMAR COM ISSO.Todos sentimos saudades dele ainda.
Ele assumiu depois da morte do pastor José Amaro, em 1977, e ficou 21 anos como pastor. Era poder quando pregava a Palavra! A unção de Deus sobre ele era grande. Não havia uma única vez que eu não me alegrasse ao ouvir a palavra de Deus pregada. Glória a Deus. Ele era da cidade de Palmares, PE, e nasceu em 1924. Trabalhou no mercado de São José,Recife, onde tinha um box, vendendo Bíblias e outros artefatos evangélicos.
O povo da igreja Assembleia de Deus de Pernambuco não tirou da lembrança o carinho e o amor com que o pastor Leôncio se dirigia a ele. A forma como ele tratava a igreja ainda é lembrada. Um irmão escreveu que ele  entrava pela frente, falando com todo mundo. Isso nunca foi esquecido por nós. Até escrevi outro artigo sobre ele, e na minha página do Facebook, e, nele, os irmãos falam a mesma coisa: só elogios.
Então eu pergunto: porque gostamos tanto do pastor Leôncio ainda? Por que ainda sentimos tanta falta dele? Não é de admirar isso. Ele distribuía amor a todos. Era conhecido como o homem do amor. 
Houve um líder que disse que o pastor Leôncio "era ingênuo, e que não via alguns 'erros' que ocorriam", segundo esse pastor disse. Discordo. Duvido que um pastor da estirpe do pastor Leôncio era ingênuo assim. Deus falava com ele, tudo revelava. Mesmo se houve essa "ingenuidade" falada, mas Deus revelava, ou antes ou depois. Toda decisão que o pastor Leôncio tomava era com muita oração e jejum. Seu ministério foi abundante e dinâmico,como o atual (entenderam?) fez a igreja crescer muito, e no Brasil inteiro, era comentada a forma dinâmica dos obreiros daqui agirem, os dirigentes itinerários de culto, sistema inaugurado pelo pastor Joel Carlson, um dos nossos fundadores, juntamente com Adriano Nobre.
O que percebo é que os anos passam, e nós não esquecemos o pastor Leôncio. Não entendo a razão de nenhuma editora evangélica não ter lançado um título sobre ele.Já deveriam ter lançado a biografia do pastorLeîncio. É de se estranhar isso.Que tal a Bereia publicar? Quem dera fosse eu esse escritor! Já é hora de fazerem isso. O pastor Leôncio merece.
Essa nova leva de crentes, de 1998 para cá, não teve o prazer de conhecer esse líder amado. Grande homem de Deus, humilde e que jamais ignorava ninguém, como alguns, hoje em dia, também não ignoram. Ele fazia questão de se aproximar dos irmãos e conversar com eles. Era o jeito dele. 
Graças a Deus por ter conhecido e visto o pastor Leôncio pregar e ensinar a Palavra. Agora, só no Céu o veremos.