domingo, 5 de março de 2017

NO TEMPO QUE ROMA TEVE UMA PAPISA

Resultado de imagem para papisa joanaIsso que aqui irá ser relatado, ocorreu de verdade na história da humanidade, e essa história, dentre outras, é escondida de todos, se possível, mas nem todos devem deixar de contar, pois é algo que deve vir à tona. Apesar de alguns dizer que é lenda, mas a própria Enciclopédia Católica afirma ter existido:


Nos séculos XIV e XV, a Papisa era citada como personagem histórico, de cuja existência ninguém duvidava. Ela teve seu lugar entre os bustos talhados que ficavam na Catedral de Siena. Sob pedido de Clemente VII (1592-1595), Joana foi transformada no papa Zacarias. O padre João Huss, ao defender sua doutrina diante do Concílio de Constança, referiu-se a ela, mas ninguém questionou o fato de sua existência. 

The Catholic Encyclopedia



Existiu um papa em Roma chamado João VIII, também conhecido como papisa Joana de L'Aglois, que governou entre os anos 855 e 857 d.C., numa das páginas mais vergonhosas da história dessa igreja.Ela nasceu em 817 em Mentz, na Alemanha.
Segundo os historiadores (entre os quais figuram Martim Polomo (1278), Sigisberto Gemblacense e Jean de Mailly)ela chegou ao papado através da baixa magia, pois era uma bruxa.
Ela tinha um camarista chamado Floro, que era um sobrinho do papa anterior a ela (sobrinho era o nome para os filhos dos papas, que eram muitos)e começou a visitar ele pelas madrugadas, até que foi descoberto que ele, na verdade era ela, e os dois começaram a ter um relacionamento amoroso, enquanto exercia a função de papa durante o dia. Ninguem desconfiava dele, e isso demorou cerca de dois anos, até que viesse à tona essa prostituição dentro do que era considerado um lugar sagrado, portanto,uma abominação.
Certo dia, ela estava tão alegre por ser amante de um belo rapaz, que distribuiu quatro bispados, ordenou dezesseis diáconos, acrescentou dois Santos ao calendário, comutou a pena de cinco condenados à forca e salvou vinte hereges da fogueira.Estava exuberante.Quem olhava para ela, sabia que estava radiante, cheia de felicidade por causa do amor que tinha com seu amante todas as noites.Joana não poderia escolher uma vida melhor. Praticamente a pessoa mais poderosa do mundo de então era uma mulher, uma papisa!
Depois de seis meses que ela se tornou amante de seu camarista, precisou ir a uma procissão em Latrão, e, no caminho, começou a sentir umas dores, e deitou no chão, se contorcendo debaixo do peso das roupas papais. Os cardeais a acompanhavam, preocupados, tiveram de levantar suas vestes para aliviar do calor um pouco, quando viram a criança saindo dela!Foi algo terrível, um escândalo. Tiveram que jogar a mãe e o filho nas águas do rio Tibre, e seu amante se tornou um hermitão por toda a sua vida, segundo diz a história.
Essa é uma parte da Igreja Romana, registrada nos anais da história.