terça-feira, 14 de março de 2017

AS FEMINISTAS E A BLASFÊMIA CONTRA JESUS

Uma prova de total desrespeito a Deus, as feministas na Argentina realizaram algo execrável. Simularam uma gravidez e um aborto em frente a uma catedral na Argentina.A criança abortada era Cristo! Meu Deus! A Bíblia mostra que Deus não deixa sem castigo isso,e grande! Os filhos de Aarão zombaram, Senaqueribe, o povo de Judá, e todos pagaram  grande preço. Ninguém escarnece de DEUS e fica impune. 
Essas mesmas pessoas  querem ser respeitadas quando fazem seus movimentos que vão de enconttro a tudo que é de boa fama e aceitável, pois promovem não só o aborto,mas a desvalorização da família e bons costumes. Todo lixo moral querem que a socieade aceite como algo  lindo.
O mais estranho disso é que eles acusam os cristãos de serem intransigentes e não respeitarem as diferenças.
Mas se elas são tão corajosas como querem mostar que são porque não vão a algum país muçulmano e também zombam de Maomé? A covardia delas é muito grande para isso. Certamente isso seria a última coisa que fariam na vida delas, pois morreriam queimadas ou apedrejadas, no mínimo. É por isso que elas só agem assim no Ocidente, são covardes.
Seria natural que protestassem nos países muçulmanos, que estupram crianças, matam e espancam mulheres de forma tão natural como beber um copo de água. Cadê a coragem delas para isso?
Uma ex- feministas, muito conhecida, disse que nos bastidores desse movimento existe muita corrupção moral, pois a maioria delas são depravadíssimas, e não pensam duas vezes se tiver de ganhar dinheiro desrespeitando a igreja, Deus, e tudo o que representam.
A verdade é que há muito dinheiro por trás disso, principalmentte de indústria, que lucram grandes somas com os fetos. Essa é a verdade, mas elas escondem, e a grande mídia sabe disso e não denúncia. É sabido que a placenta dos bebês abortados servem para a indústria de coméstico.
Elas poderiam convencer o povo da veracidade desses protestos, se fizessem isso nos países árabes também, onde as mulheres não têm o mínimo de respeito por parte dos maridos, da lei, e da sociedade. E têm coragem?