quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

LIVRO INFANTIL ENSINA QUE DEUS É MEDROSO E O DIABO É AMIGO

Um dos maiores absurdos dos últimos dias, é a notícia de que um livro infantil está causando uma confusão nas escolas de Ensino Fundamental de todo o Brasil. O autor, que deve ser satanista, escreveu uma estória cujo personagem tem por amigo o diabo, e chama Deus de covarde, que não gosta de se mostrar, e diz que o diabo é amigo da criança, e Deus, não. Vejam a que ponto a literatura infantil tem chegado!
 O nome do livro é “A Máquina de Brincar”, escrito pelo gaúcho Paulo Bentancur,o qual chama o diabo de bom parceiro, e denigre Deus. 
Uma parte do livro é recomendado ler no escuro, e a outra parte, no claro, pregando o conceito do "yin yang", doutrina indu que fala que entre o bem e o mal, há uma relação bem íntima e que os dois se "dão bem". Isso é um livro infantil, com contos em forma de poesia, para ensinar satanismo para as crianças!
Um dos tútulos do contos é "O diabo que me carregue", onde o inimigo de Deus é exaltado de forma absurda, enquanto Deus é detratado como se fosse alguém mal e inferior ao diabo, e tendo sido derrotado por ele.
Foi uma internauta chamada Janilda Prata, que teve acesso ao material oferecido pela escola à sua filha, e publicou fotos do livro no Facebook. Mais de 46 mil pessoas se mostraram indignadas com esse livro, e manifestaram suas opiniões contrárias, enquanto o autor disse que queria brincar com Deus, e com o diabo, coisa que a Bíblia não recomenda.Não se deve brincar com essas coisas, pois o diabo é mal, e representa tudo que ofende a Deus, e Deus é santo e fogo consumidor, portanto, isso jamais deveria ser motivo para brincadeiras.A recomendação bíblica é "não deis lugar ao diabo" (Ef 4.27; 1 Pd 5.8,9), e esse autor quer abrir as portas do inferno para a mente das crianças, que, inocentes, podem cair em um poço sem fundo de maldade e corrupção espiritual.V ejam o que diz a internauta:


“Todos sabem como incentivo leitura para minhas filhas desde bebê. O contato das crianças com os livros passa por várias fases. Primeiro eu lia para elas, depois eu lia com elas e hoje elas leem sozinhas. Na hora de comprar um livro eu olho a capa, o tema, a sinopse, sobre o autor e a faixa etária. Depois peço que elas me falem sobre o que leram. Achei que isso era mais do que suficiente até o dia em que Ana Ester (9 anos) disse: ‘Mãe, tem algo errado com esse livro. No meio dele encontrei uma página ‘para ler no escuro’ e depois coisas horríveis…’. Me desculpe o autor, mas se alguém torna uma obra pública, eu tenho o direito de criticar e emitir minha opinião. Um livro para criança que invoca o diabo para ser amigo da mesma, diz que Deus não aparece porque é covarde e pequenino e termina dizendo que o capeta venceu, para mim é uma literatura totalmente imprópria. Não venha me dizer que isso é poesia. Isso, para mim, é pura heresia. Estou indignada por ter colocado algo assim na minha casa e nas mãos das minhas filhas. Que critério usar quando compro livros infantis? Vou ter que ler antes todas as páginas? Como algo assim
 pode ser liberado para publicação e considerado literatura infantil?”, desabafou Janilda.


Por isso, a recomendação é ter cuidado com o que nossas crianças leem. Essa leitura pode ser perigosa demais para eles. Abaixo, algumas linhas do terrível poema para se ler no escuro: