domingo, 4 de dezembro de 2016

A DISTORÇÃO DA DOUTRINA DO BATISMO NAS IGREJAS


A igreja do Senhor tem duas ordenanças: a Santa Ceia e o batismo, este feito por imersão, testificando que houve nesse indivíduo um novo nascimento, e esse testemunho é público, de algo que Deus realizou em sua vida.
Mas, algumas vezes, de púlpito, em uma igreja pentecostal, tenho ouvido presbíteros afirmarem que só faz parte da igreja de Cristo se for batizado, ou que  "o batismo é para fazer o crente se vincular a igreja. É uma grande mentira isso. Não existe isso. O indivíduo que acabou de aceitar Jesus, já está salvo, não precisando se batizar para tal. Agora se ele pode se batizar, deve fazer isso, pois é uma ordenança de Jesus em Mateus 28; Lucas 6.4; Rom 8.14-17; Gl 3.26-4.7; Colo 2.11,12. Mas batismo não é para salvar ninguém, nem é para se vincular à igreja, como alguns tem ensinado erradamente. Não há esse ensinamento na Palavra de Deus. O indivíduo é batizado porque já pertence a Cristo, e não para pertencer a ele.
O ladrão da cruz, em Lucas 23.42,43, foi salvo mesmo sem ter se batizado nas águas. Então, de acordo com essa verdade, se a pessoa aceita Jesus e é transformado em nova criatura, através da regeneração pela Palavra, pode até participar da Ceia! O batismo não é para fazer a pessoa participar da Ceia do Senhor. A partir do momento em que ele aceita Jesus como Salvador, está salvo, conforme ensina Efésios 2.8,9.  Não é o ser batizado nas águas que o fará capaz ou ter direito de participar da Ceia, é se ele nasceu de novo ou não. A proibição de um crente de participar da Santa Ceia sem ser batizado é costume de algumas denominações, e não tem base bíblica, uma vez que aceitou Cristo como Salvador, ele já faz parte do corpo de dele, ou seja, sua igreja.
Rejeitemos esse ensinamento errado sobre o batismo; que a verdade seja dita!