sábado, 26 de novembro de 2016

"NÃO COMA HOJE!"


Ela tinha catorze anos, e aceitou Jesus, SUA AVÓ, que era mãe de santo e não aceitava isso, pois seus orixás não queriam esse tipo de coisa. Começou então a odiar a neta, que era uma serva de Cristo.
resolveu então matar a neta, levada por artimanhas satânicas. Ela comia uma vez por dia, depois de uma tarde, ao sair da Escola Dominical. Acontece que Deus disse a ela que não comesse nesse dia, de jeito nenhum. Sua vó já havia posto a comida na mesa, com veneno de rato, e esperou que a menina comesse aquilo. Ela obedeceu a Deus e não comeu nada.
Qual não foi a surpresa da avó quando a viu viva! Ela não estava acreditando no que estava vendo.

"O que aconteceu?Você ta viva, não morreu?", disse a avó.
"Sim, estou bem", disse a menina.
"Mas eu pus veneno na sua comida ontem, era para você estar morta!"
"O meu Deus disse para eu não comer!"
Então, naquele dia, sua avó se converteu a Deus, e tornou-se nova criatura. Esse é o Grande IAVÉ ELSHADAI!

A GRAÇA CAIU NA PRISÃO


O escritor americano John Sittema, em um de seus livros, escreveu que "por mais de um ano ministrou estudos bíblicos em uma prisão nos EUA, no Texas, em um presídio estadual. Mês após mês, os homens sentava-se de modo separado: negros à esquerda do palestrante, brancos à direita, e hispânicos lá atrás, pois eram em menor número. Depois de um estudo sobre o poder da cruz de Cristo, mais de cem homens se levantaram, e começaram, relutantemente, a voltaram-se uns para os outros. Os guardas ficaram já preparados para o pior, pois contato visual no presídio significava algo perigoso. Mas dessa vez seria diferente. O céu caiu naquele lugar, e a presença de Deus foi sentida de forma maravilhosa, fazendo aqueles homens se abraçarem, chorando. O perdão de Deus havia dominado eles de tal forma, que se tornaram um em Cristo, e não mais inimigos, e não mais violentos". Só Deus pode fazer isso! Só o sangue de Cristo é capaz disso. Aleluia!

O ENGESSAMENTO DOS CULTOS


Eu sei que não só eu tenho observado isso. Mas é algo que está acontecendo sempre. O engessamento dos cultos, na maioria das igrejas.
Eu tenho para mim que isso é por causa da falta de comunhão de alguns irmãos também, pois chegam nos templos e ficam sentados, como que esperando algum "show" começar, ao invés de ficar orando, seja de joelhos ou até mesmo sentando, mas que orassem. Antigamente era assim. Hoje em dia dizem que os tempos mudaram, estamos em outra era.Mudou para pior? O nome disso é retrocesso, é esfriamento espiritual.
Nossos cultos estão ficando bastante ritualístico, sempre as mesmas coisas, todos  os dias, como disse minha amiga V... Onde está a manifestação dos nove dons, como diz 1 Coríntios 12? E os dons dos quais fala Efésios 4? E os que estão relacionados em Romanos 12?
Na igreja pentecostal, os cultos são conhecidos por serem dinâmicos, onde se vê a manifestação do poder de Deus, das curas, das profecias, das interpretação de línguas, e maravilhas e milagres.Nem batismo no Espírito Santo se vê direito hoje em dia! É o engessamento dos cultos, infelizmente. Estamos ficando ritualistas, coisa que era só no tempo da lei.
Precisamos orar mais, ter mais reverência nos cultos, parar de conversar, de atender celulares nos púlpitos, deixar de usar truques de psicologias, fazendo o povo repetir frases de efeito o tempo todo. Enfim, precisamos é voltar às nossas origens, onde não existia nada disso, e Deus operava. Que as mulheres parem de passear e exibir seus corpos, e os homens deixem de ser egoístas e pararem de brigar por cargos.
O evangelho é poder de Deus, não é comida e nem bebida, como diz Paulo em Romanos 14.17.

A FARSA DO ARIANISMO



O Concílio de Niceia, no século IV depois de Cristo, existiu para resolver a questão que Ário, pastor de Alexandria, lançou sobre a divindade de Jesus. Ele afirmava, em seu livro, Thalia, que Jesus era divino, mas não era Deus, não tinha a mesma substância que o pai. Em outras palavras, ele estava dizendo que Jesus teve um início, e isso contraria a teologia paulina, em Colossenses, Efésios e em outros livros, onde é afirmado que Cristo NÃO foi criado, não teve um início, e que tem a mesma substância de Deus.
A humanidade não poderia ser salva se Cristo não fosse como Deus é.Seu sacrifício não seria perfeito. Nós estaríamos no pecado até hoje, e o céu seria uma mera fantasia. Mas graças a ele que o céu é real, e Cristo é nosso sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque, ou seja, não tem início e não tem fim.
Existem grupos, como o Voz da Verdade, que diz que Jesus não é Deus,ETERNO,Iavé... Mas ele é Deus, eterno, sempre existiu, como diz Hebreus 13.8; Mateus 28.18. Dentre as muitas passagens, essas servem para refutar esse falso ensino.
Portanto, cuidado com o arianismo, que nega a divindade de Jesus.

A MENTIRA DO PURGATÓRIO


O purgatório é ensinado na Igreja Católica de modo bem enfático, há séculos, e isso tem sido uma fonte de riquezas e erros para a mesma, desde que começou, e foi uma das coisas que mais Martinho Lutero criticou e combateu em suas teses.
Ela dá aos padres o poder enorme de vida e morte, ou de morte somente, e faz com que eles manejem o destino eterno das pessoas. Os papas nem se fala. Vejamos os absurdos que já foram feitos e ditos por alguns papas em relação à "doutrina" do purgatório.
O papa João XXII, certa vez, concedeu 300 dias de indulgência a uma pessoa que estava, segundo ele, no purgatório; o papa Bonifácio deu à todos que disseram uma reza à Virgem, sete anos e quarenta quaresmas de indulgências. Cinco outros papas deram indulgências que, somadas, davam mais de 500 anos a algumas pessoas. Vejam que absurdo e presunção dessa gente, que não podia e não pode salvar nem a eles mesmos, dando perdão dos pecados aos outros, depois de mortos. O papa Bonifácio VI foi mais longe que os anteriores a ele, pois deu 10.000 anos de indulgências a quem rezasse uma uma oração chamada Agnus Dei. Um tal de Sixto, em resposta a certa oração, deu 11.000 anos. Outro caso de indulgência, foi a concessão de 32.755 anos de indulgência a quem rezasse cinco padre- nossos, cinco ave- marias, e um credo, que são símbolos da paixão de Cristo, segundo eles dizem. Já Sixto IV, mais afoito que os anteriores, deu 65.510 anos de indulgências a quem fizesse o que ele dissesse para fazer. Vejam como eles, assim, anulavam o sacrifício de Cristo, e faziam as pessoas acreditarem em mentiras terríveis.
Era dessa forma que a igreja Católica ia se enriquecendo cada vez mais vendendo salvação aos pecadores, aos que pudessem pagar mais, contrariando totalmente a Bíblia. Quantas pessoas não foram para o inferno por causa dessas mentiras? Absurdo! Fiquemos de olho.