quinta-feira, 22 de setembro de 2016

O DIA EM QUE MOISÉS VIU A DEUS


Uma das coisas mais lindas e profunda da Bíblia, foi a aparição de Deus a Moises (Êxodo 33.18-22), depois do incidente da adoração do Bezerro de Ouro, feito por Aarão para substituir a liderança de Moises que passou quarenta dias no monte, recebendo de Deus as instruções de como conduzir o povo e o pacto feito com ele.
Depois de ter quebrado a aliança com as prostituições do culto idólatra, onde havia muito bacanal, Deus resolve destruir a nação e fazer de Moises um novo patriarca. Mas ele intercede e Deus volta atrás em sua resolução de destruir o povo por causa de Moises, o amigo de Deus. Moises não queria um anjo, queria o próprio Deus com eles, por isso intercedeu para que Deus continuasse indo com eles para Canaaã.
Moises pede que Deus mostre sua glória, queria ver ele em sua essência, coisa que nenhum ser humano consegue sem que seja destruído. Ninguém pode ver Deus e ficar vivo, pois sua glória é muito terrível, e sua santidade também, de modo que o homem em pecado não poderia ver ele de perto. João disse que ninguém viu a Deus, o que é verdade. O que Moises e outros profetas viram de Deus, foi uma manifestação antropomórfica de sua divindade. Deus é invisível, não pode ser visto pelo olho humano. Isso é tão serio, que nós, quando vermos Ele, será em um corpo transformado, glorioso, para aguentarmos o ambiente celeste. É assim que é.
O profeta ficou em uma fenda na rocha, e então viu Deus passar, e o viu pelas costas, sendo isso uma linguagem antropomórfica, Deus não é como nós, mas Espírito, não pode ser visto como ele é realmente. Moises viu essa manifestação de Deus em um grau que ele poderia aguentar, na rocha, símbolo de Cristo, que atrás dele, vai a Deus. FOI TREMENDO ISSO.
Se Deus deixasse ser visto como ele é, seria a última coisa que Moises veria, pois morreria logo. Que coisa tremenda! Que fosse uma manifestação de Deus assim um tanto oculta, mas quem não ia querer ver o TODO-PODEROSO?