segunda-feira, 19 de setembro de 2016

A ESTOLA DE GIDEÃO E A POLÍTICA NA IGREJA


Depois da grande vitoria sobre os midianitas, o povo que fazer de Gideão seu rei, o que foi rejeitado por ele. Ele disse que Deus era o Rei deles, e não seria ele, Gideão, seu rei. Pediu para que todos eles dessem um brinco para ele. Todos de bom grado fizeram isso. Ele fez uma estola, parte da roupa de um sacerdote e fez essa parte da roupa de ouro. Isso foi uma pedra de tropeço para os hebreus, pois eles adoraram aquela estola e isso fizeram eles fracassaram na fé, e se afastarem de Deus.
Gideão fez isso para comemorar uma vitória, era algo bom, mas que não fez bem à casa dele, levou o povo a idolatria, e sofreram muito com isso. É como a política que está entrando na igreja, a ideologia política, a politicagem, candidatos da igreja, etc. A intenção é boa, mas vejo que a igreja está se secularizando. Estamos buscando poder, e lutando com as armas carnais, combatendo um inimigo espiritual de modo errado. Eu sou de um tempo em que as coisas eram resolvidas com a oração, a guerra era com as armas espirituais, como diz Efesios 6 e 2 Corintios 10. São essas armas que estamos deixando de usar, e nos orgulhamos de ter políticos resolvendo as coisas para nós, ao inves de fazer com a oração, jejum, hinos, e ações de graças. Onde iremos parar com isso? É estranho que isso esteja acontecendo. Eu temo que, com o tempo, a igreja fique tão secularizada quanto qualquer associação ou entidade que conhecemos hoje. A igreja está perdendo a razão de ser. Ela foi instituída para a glória de Deus, difundir o evangelho pelo mundo, e não ter poder secular. Acho que estamos errando feio nisso. Não se combate o diabo usando as armas de Saul, mas as de Davi.
A igreja, então, está ficando secularizada. Tudo agora é resolvido na política, com siclano e Beltrano que conhece tal e tal prefeito, vereador, etc. Isso é estranho mesmo. A onde a igreja vai parar? E a oração e jejum não resolvem mais nada? Estamos aqui para sermos cheios do Espírito Santo, lutar essa batalha com o poder de Deus. Esse foi o erro de Acaz, que confiou na sua própria força, e não em Deus. Preferiu confiar na força do Egito. Esse está sendo nosso erro também. A política pode se tornar uma pedra de tropeço para a igreja, e fazer que ela deixe de buscar a glória de Deus e ir atrás da gloria dos homens. A igreja deve se preocupar com isso.
Espero que estejamoas atentos, e não fazermos como Demas, que preferiu o presente século ao porvir, só quis o aqui e agora. Deus nos guarde.