sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

O NATAL É LEGÍTIMO



Todo ano é isso. As mesmas coisas, e embora se mostre que é possível comemorar o natal sem ser idólatra, não querem acreditar. Distorcem tudo.
A culpa é de Constantino. Foi ele quem tornou a religião cristã oficial no seu império. E muitos que não eram salvos, vinham para a igreja a fim de tornar-se “cristão” para serem beneficiados pelo Estado.
No século 4º a.C., a igreja já estava cheia de sincretismo, vindo a tornar-se Católica, da forma como se conhece hoje, cheia de misturas e tradições vãs, que se tornaram doutrinas para eles. Muitos cultos pagãos se tornaram “cristãos” devido a uma roupagem nova. Um deles é o culto de natal, a comemoração do nascimento de Jesus, em 25 de dezembro. Antes, o paganismo comemorava essa data como a adoração ao deus sol, ou Osíres, egípcio. Até hoje há cristãos que dizem que não se deve comemorar o natal, por ser uma festa de origem pagã, que Cristo não nasceu nessa data. É verdade que o nascimento de Jesus se deu no verão, no norte, nessa época.
Mas só esquecem um detalhe. As festas pagãos eram dedicadas aos deuses, e isso era feito de forma objetiva, dirigido a ele. O natal é comemorado por nós, evangélicos, de uma forma também objetiva, dedicada a Cristo. Quando comemoramos essa data, todos os louvores, cantatas, o culto todo, a figura central é Jesus, não há duendes, orgias, bebedices, nem nada que contrarie a Palavra de Deus. Essa tradição é válida, e é algo que, segundo o critério de Filipenses, tem algo de “verdadeiro, bom e honesto, e é de boa fama.” Cristo é a figura central, Papai Noel é só um mito, Cristo é um personagem histórico. Nosso culto é racional, pois sabemos a quem estamos adorando.
Não nos prostramos diante de uma figura, de uma árvore, nossas orações são dirigidas a Deus, na pessoa de seu Filho. Por isso, podemos comemorar o natal sem ter medo de estarmos sendo idólatra. Simples.
Se numa comemoração dessa, mesmo não sendo a verdadeira a data, as pessoas ficam desse jeito, meigas, pensando em presentear as crianças, amar o próximo, louvando a Deus pela vinda de seu Filho, imaginem se fosse a data verdadeira! Vejam que até nisso Cristo mostra sua força e poder. Se fosse um culto pagão, Deus não seria glorificado nele, mas só haveria coisas que horassem ao diabo. Tudo que é verdadeiro, honesto, está na luz, pois Deus é a fonte de tudo isso, de toda justiça. Comemorem o natal, vale a pena.
Jesus é o seu tema, o cerne da festa. Se há comércio em torno disso, é na figura de um personagem fictício, e em nada mancha o nome de Cristo. É fanatismo dizer que é uma festa pagã. A data de 25 de dezembro não nasceu pertencente ao ídolo, mas é uma data que foi atribuída a ele. É a mesma coisa de não comermos galinha pelo fato dessas aves serem oferecidas a Satanás. Foi Deus quem criou elas. Ou mesmo, não comer milho pelo fato de ser oferecido também no candomblé.
Comemoremos o natal, pois nossa adoração é dirigida para Cristo, e não para ídolos, ou qualquer outra coisa. Jesus é o centro dele.