domingo, 27 de setembro de 2015

CRUZADAS BOAS NOVAS: RESGATE PERIGOSO


As cruzadas foram um dos acontecimentos histórico mais interessantes e fascinantes que se tem notícia, até hoje. Os cristãos foram para Jerusalém, para libertar a cidade dos muçulmanos, dos que não tinham direito, não criam no Deus dos cristãos. Muita gente morreu. Houve até cruzadas de crianças! Essa foi interessante. A igreja católica incentivava os nobres a fazerem isso, e alguns dizem que era para ficar com suas riquezas, pois boa parte deles morriam e deixavam o que possuíam para a igreja. E assim foi.
Hoje as cruzadas que se fazem têm um sentido diferente, elas são realizadas pelas igrejas evangélicas para pregar o evangelho de Cristo, indo em busca de almas para o reino de Deus, levando salvação para quem está debaixo do julgo de Satanás. É uma luta tão grande quanto.
A IEADPE (Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Pernambuco) faz bastante cruzadas, tanto na Região Metropolitana quanto no Sertão e Zona da Mata, em Pernambuco, levando a Palavra de Deus, indo onde estão as pessoas que estão aguardando para a salvação. Grande é esse trabalho, pois resgata almas do inferno para o céu. É como um batalhão na guerra, que vão fazer um resgate de prisioneiros no território inimigo, sofrendo os maiores perigos, luta em campo aberto, afim de que o resgate seja feito de modo preciso e direto. Quantas almas não foram já salvas através dessas cruzadas? Tudo que precisam fazer é ter fé e vontade; sem fé e vontade não se faz a obra de Deus, é impossível, pois não agrada a ele.
Geralmente usam um caminhão, estilo carreta, com enormes caixas acopladas, e o mesmo é usado como palco ou púlpito. Alguns cantores como Jair, Ivonaldo Albuquerque, Alessandra, falando dos mais conhecidos, participam dessas cruzadas, como também conjuntos diversos, corais de adolescentes, adultos, e outros órgãos, escalados pelo pastor presidente. Quem coordena as mesmas é o pastor presidente Aílton José Alves e o coordenador da Superintendência das Campanhas Evangelizadoras, o evangelista Jefferson Aleluia. A confecção dos cartazes que promovem essas cruzadas fica a cargo do irmão Isaías Soares, que faz um excelente trabalho nesse sentido. Não é uma simples coisa, é um verdadeiro resgate  o que fazem, indo ao território inimigo, sob a unção e poder do Espírito Santo, que é quem capacita, segundo afirmou o apóstolo Paulo: "a nossa capacidade vem de Deus". Muitas vezes vão a lugares nunca antes frequentados por aqueles que deveriam ir, por causa do lugar ser inóspito, esquecendo que para Deus, uma alma sendo salva, é como o mundo inteiro, pois o Deus que morreu por um homem, morreu por todos. Cada pessoa tem o valor do sangue do Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo, e, depois disso, possam "entrar na cidade pelas portas". Amém.
É desse modo que a igreja de Recife tem crescido tanto, indo em busca dos perdidos, os quais já têm a salvação paga, tendo Cristo morrido por eles. E, claro, essa não é uma missão impossível, podem fazer, e fazem.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

AS LUAS E O MESSIAS


Esses últimos tempos estão mesmo complicados. Tem se falado muito das quatro luas de sangue, predita no livro de Joel,capítulo 3, e que, cada vez que aparecem essas luas, algo de muito grande vai acontecer no mundo. Essas coisas têm sido asseveradas pelos rabinos Mendel Kessim, e Jonathan Cahn, esse último, messiânico. Dizem eles que o Messias está perto de vir, e que o terceiro templo será em breve construído em Jerusalém, no lugar considerado do antigo templo. Os maometanos dizem que Maomé foi assunto ao Céu nesse lugar, o que é uma inverdade. Esse profeta não é de Deus, é um falso profeta, usando seus parcos ensinamentos para levar ódio e destruição ao mundo, estuprando crianças e fazem toda espécie de barbárie, até crianças eles crucificam, e fazem coisas terríveis contra elas, até enterrando elas vivas, como a mídia tem mostrado!
O dia 29 de Elul está incluído nessa profecia; nesse dia, ocorreram os maiores crashes do mercado. No dia 13 de setembro acontece a Festa das Trombetas. Vai acontecer um fenômeno chamado a Virgem Vestida de Sol (23 de setembro), que lembra Apocalipse 12, onde João profetiza sobre isso. No livro, a mulher vestida de sol é Israel, que tem um filho, que fica claro na Bíblia que é Jesus. Também nessa data se comemora o 50º da reconquista de Jerusalém (Jubileu), que brilha na constelação de Virgem.
As quatro luas de sangue são sinais bastante esperados; há sinais acontecendo que podem corroborar para isso, como um ressurgimento do Sinédrio em Israel; o surgimento de um califado; um acordo nuclear; a restauração do culto hebreu.
Uma das coisas mais estranhas foi o anúncio da construção de um avião russo que vai ser usado no fim do mundo, previsto para aguentar às maiores calamidades, usando uma tecnologia de ponta; da mesma forma os EUA, que construíram um Boeing E-4B Nightwatch.
Dando apoio a tudo isso, estão as profecias de Daniel 9.23-27, considerada a espinha dorsal das profecias bíblicas. É no livro de Daniel também que estão profecias que se cumpriram de uma forma tremenda, com a que fala da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém. Foi no dia 5 de março de 444 que os muros de Jerusalém foram edificados; no mesmo mês, no dia 30, do ano 33 d.C., o Messias entrou em Jerusalém, cumprindo as profecias bíblicas de uma forma tremenda! Que Deus maravilhoso esse nosso! Como ele é Fiel, Eterno, terrível! No dia 3 de abril, Cristo morreu numa cruz, numa sexta-feira. No dia 6 de agosto do ano 70, o templo de Jerusalém veio abaixo, como disse Cristo em Mateus 24.
Nós, cristãos, estamos de olho nisso, pois indica que nossa redenção está próxima, Cristo vem em breve, e a igreja será raptada da terra. Muitos não estão se dando conta desse fato, vivendo em seus prazeres como se isso fosse o suprassumo da vida. Não foi isso que Cristo disse. Segundo o Mestre, é agora que devemos nos apegar a ele, agora é a hora de nos firmarmos mais na palavra de Deus.
Vejo os templos, na oração. Vazios, pois nos preocupamos mais com nossas finanças, sabendo que isso vai ficar aqui. Precisamos ter a consciência que isso vai ficar aqui, é que o mais importante é a eternidade, pois é lá que o tempo não terá fim, e para sempre estaremos com nosso Senhor. Mas, como disse Jesus, “achará fé na terra quando isso ocorrer?”
Digamos, não só com nossas palavras, mais com nossas obras: ora vem, Senhor Jesus!

A PROSOPOPEIA DE PROVERBIOS


O livro de Provérbios foi escrito por Salomão rei em Jerusalém, e faz parte da poesia hebraica, sapiencial, e de muito proveito. Da poesia bíblica também faz parte o livro de Salmos, Eclesiastes e Cantares, estes dois últimos escritor por Salomão, embora alguns eruditos achem que ele não escreveu esses livros, pelo menos em boa parte dos livros há autoria desconhecida.
Está claro que existia a poesia cultual em Israel, usada para tudo; cada evento na sociedade tinha seu gênero literário, e isso incluía a poesia, segundo afirmam Hermann e Gurkel.
Existiam os lamentos e canções, vindo da palavra qina, lamento; era escrito com cinco sílabas poéticas, contendo pesar e dor: 2 Sm 1.25; Jr 22.18; 2 Sm 1.22; 1.24; Lm 1.21,22; 2 Sm 1.19-27. Queixas: Sl 25; 51.3-559.3,4; Sl 22.4,5; 3-7; 9-13.
As festas anuais nas quais eram lidos os salmos 8, 23, 33, 77, 100, 103-104,111; entre eles, eram também lidos os salmos reais, como o 2, 110, 45, e 132, segundo Gunkel. A cultura popular influenciou na confecção desses salmos, ao invés de acontecer o inverso, como alguns creem.
Os salmos usados ou lidos nas cerimônias de entrada eram os seguintes: 5; 24; 68; 118; 132. Todos eles tinham um uso certo nessas cerimônias, como mostram estudos realizados por comentaristas como Gunkel e outros.
Mas são nos provérbios que o ensinamento hebraico tem uma desenvoltura mais dinâmica, segundo alguns. Os ensinamentos começam com o pai ou mãe, que são os primeiros mestres do jovem; mas também os mestres eram chamados de pai, um costume semítico. Segundo os estudiosos, os provérbios como ensinamentos didáticos, começou com Salomão, o rei de Israel. Há vários estilos literários usados para ensinar, entre eles a alegoria—Proverbios 5. 15,23; relatos—Pv 7.6-23; relatos do mestre—Ec 1.12-2.26; hinos—Jó 28.
O nome hebraico para o livro de Provérbios é Mishley Shalomon; nele há 6.915 palavras (Jenni, II, 689); está na terceira parte da Bíblia Judaica; é o terceiro mais antigo. A ordem que seguimos é a da Septuaginta, que dispôs os provérbios da forma que conhecemos hoje, e também foi confirmada pela Vulgata, a versão de Jerônimo, adotada pelo catolicismo. A veracidade desse livro foi confirmada por Josefo, Fílon, pelo Mishnah, e os Rolos do Mar Morto. Mas não são só esses escritores que atestam a veracidade de Provérbios, pois até o Corão fala que foi Salomão quem escreveu eles. Você pode ver isso nas Suras XXVIII,170; XXXIV, 190; e na Sura XXXVIII, 201.
Salomão, pois, é dono de 3000 provérbios, 1005 cânticos, além dos salmos 72, entre outro. O NT fala dele: Mt 6.29; Lc 12.27. O nome do de Salomão é citado três vezes no livro: 1.1; 10.1; 25.1. A seção que vai de 10.1-22.16 tem 375 provérbios; a seção de 25. 1-29:27 tem provérbios.
Outra coisa bem interessante nesse livro são os nome de Agur e Lemuel, que alguns rabinos achavam que eram outras designações para Salomão, o que não deixa de ser muito interessante. No entanto, ninguém sabe se há uma mensagem por trás desse nome, e a razão que fez com que o rei-autor usasse esses nomes para ele; já para alguns, esses nomes são de outras pessoas, que são descendentes de Ismael realmente,e seus nomes têm significados que louvam a Deus.
Prosseguindo, os capítulos 25-29 foram compilados por Ezequias, cerca de 250 anos depois. Um termo muito usado no livro é marshal, que tem o significado de parábola, profecia, dito breve, ou discurso. Jesus usou provérbios em seus ensinamentos, o breve e o comum.
Neste livro encontramos mais de 500 temas; a palavra jakan (sábio) é muito utilizada no livro sapiencial, como também musar (disciplina); beynah (inteligência); petiy (ingênuo); lets (burladores); tokajat (repreensão); tabunah (entendimento); temukah (perversidade), entre outras.
Alem do mais, esse livro é muito citado no NT, como nas passagens de 2 Pd 2.22 e Rm 12.20. Há 78 palavras no texto hebreu sem significado claro, ou obscuro; no livro de Provérbios, as quatro fontes de sabedoria são o lugar, o ancião, os profetas, e os sacerdotes. Além disso, segundo estudiosos da literatura semítica, a poesia sapiencial hebraica teve influência do Egito, Amom, Moabe. Nas pesquisas feitas, foram achadas provas disso, como as ostrakas, do Egito, contendo a sabedoria de Amenotepe, que, comparada com a literatura semítica, mormente a de Israel, encontraram certas semelhanças, mas a dos hebreus supera em qualidade aquela.
Outra palavra bastante usada na literatura sapiencial é qara,traduzida por chamar no livro de Provérbios; sabedoria vem da palavra jakemah, habilidade. No livro do sábio, toda a criação de Deus precisa escutar a mensagem divina; a sabedoria vai onde está o povo, pois todos precisam saber. É maravilhoso como ela se personifica numa prosopopeia maravilhosa, agindo como uma pessoa.
É usado um verbo shakam, habitar de modo permanente; tem também o significado de sabedoria para agir, como usado em 12.2; 14.17; 24.8. Os quatro bens da sabedoria são o conselho, a iniciativa, a coragem e a valentia. Fica claro que a justiça se alcança pela sabedoria, a justiça perfeita, permanente.
A sabedoria, então, usa o pronome na primeira pessoa aniy, eu, e começa a falar de suas maravilhas, suas mensagens ricas de sentido e beleza: 11.22; 17.3; 25.11.
Agora uma das maiores dificuldades no texto sapiencial desse livro é o do verso 22 do capítulo em voga; alguns a interpretam como sendo Cristo, baseando-se em Jo 1.1-5; 1 Co 1.18-31; Cl 1.15. Calvino interpretou essa passagem como sendo alusão a Cristo, enquanto que os rabinos dizem que é a Lei, certamente se referindo à sua perfeição.
A sabedoria termina seu lindo discurso dizendo ser tolo quem não a ama; esse tem uma estreita relação com a morte (veja também em 1.19; 2.16; 7.26,27).
Houve um livro chamado Bem Sirá, escrito no século II a.C., que tem um paralelo com o livro de Provérbios em vários trechos seu; no entanto, não é considerado canônico. O segundo livro vem de um judeu de Alexandria, Sabedoria de Salomão, mas só é aceito pela igreja católica, não sendo considerado pelas demais igrejas.
Provérbios é um livro de excepcional utilidade para o bem viver do jovem, e para que o tolo aprenda a ser sábio, e para o sábio ser ainda mais sábio; portanto, usufruamos dele.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

O EVANGELHO E A CLASSE SOCIAL




Fico observando a igreja. Ela é formada por pessoas das mais diversas classes possíveis, das diversas camadas sociais. Há crentes empresários, advogados, médicos, catadores de lixo, carroceiros,e trabalhadores em geral; mesmo porque, ser evangélico não implica em ficar rico, ou ir logo mudando a vida financeira. Deus nos chama para sermos salvos.
Mas apesar de nossa condição social não influenciar na salvação, alguns acham que por ser de determinada classe social, pode ser considerado um crente melhor que aquele que tem uma condição mais humilde. E erram no sentido de querer reproduzir na igreja o modelo social dele. Se na sociedade ele é rico, não pode ser na igreja, tendo as mesmas honras, os mesmos méritos. No reino de Deus é diferente, o maior serve como servo. Não quer dizer se o irmão é juiz lá fora, deve ser ter honra de um juiz na igreja. Sua classe social deve ser algo à parte. A igreja é um lugar de servos, para Deus todos tem o mesmo tamanho. Aleluia!
Deus não está interessado em sua classe social, mas na alma do homem, que é o que o homem tem de mais precioso para Deus, é uma partícula divina, nas palavras de Pedro. Os discípulos chegaram a brigar por causa de posição, e Cristo ensinou que no reino dele, não é assim. Disse que os gentios fazem isso, mas a igreja de Deus é diferente do mundo. Não existem crentes privilegiados, por quem Deus tem um interesse melhor por causa do seu nascimento. Engana-se quem pensa assim.
Se há crentes que olham para o seu irmão de forma soberba, não conhece a Deus, pois para ele não há acepção de pessoas, todos são filhos dele, e o sacrifício que ele fez pelo rico, fez pelo pobre, pelo negro, pelo branco, por quem tem carro do ano, por quem anda a pé... Deus ama a todos.
O evangelho não tem classe social. Todos são nivelados, são servos de Deus. Não reproduzam na igreja o modelo social dos gentios, que dão muito valor a isso. O ensinamento bíblico é diferente, somos todos servos do Altíssimo, e não podemos fazer acepção de pessoas, com Tiago diz em sua epístola. Isso é ser cristão, considerar  o outro superior a nós mesmos.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

A ESTEADEB E O APOCALIPSE





Fico assistindo ao programa do Canal 14, Rede Brasil, chamado “Instantes Finais”, no qual há interpretações expositivas da Palavra de Deus. Recomendo vê-lo.
Certo dia, ao assistir a uma explicação do irmão Givanildo Hermano (professor da ESTEADEB) sobre o capítulo nove de Apocalipse, fiquei admirado com ela, pois ele fez uma interpretação bem inusitada, coisa que eu não li nem nos grandes comentários bíblicos, nos dias de hoje. Ele afirmou que o exército de gafanhotos, do mesmo capítulo e livro citado, ser helicópteros! E fez referncias também ao exército de  200 milhões de anjos que é composto por algo semelhante a homens­— até aí tudo bem— minha admiração  é que ele interpretou os gafanhotos como helicópteros! Os “cabelos de mulheres”, como a hélice desses helicópteros! Não deixa de ser interessante isso. Não havia atentado para essa interpretação, nem pensei nada a respeito. Certamente algum comentarista atual deve tê-lo feito.

O livro de Apocalipse, é, sem dúvida, o mais intrigado da Bíblia; é a literatura apocalíptica, conhecida desde o período interbíblico, mas que não foram considerados inspirados por Deus, pois eles dizem coisas que contrariam a revelação geral da Bíblia, como um desses livros, Bel e o Dragão, que incentiva a adoração de ídolos e o espiritismo dessa época, pois a doutrina espírita como a conhecemos hoje começou com Allan Kardec. Existem várias interpretações deles, com a que a Assembleia de Deus segue, a Futurista, que afirma que os eventos após as cartas dirigidas às igrejas da Ásia, vão se cumprir durante a Grande Tribulação. É isso que nós da Assembleia de Deus cremos; mas algumas igrejas interpretam de outra forma, como a  que diz que  esses eventos se cumpriram na História da Humanidade como afirma essa interpretação, Barnes, representante da interpretação historicista, entra em muito mais detalhes. Ele entende que a primeira trombeta se refere a Alarico, rei dos godos (410 d.C.); a segunda trombeta a Atila, rei dos hunos (447); a terceira a Genserico, rei dos v.ndalos (455) e a quarta, a Odoacer, rei dos visigodos, que se tornou rei da Itália, derrotando o Império Romano no Ocidente em 476. Ele então encontra em 8.13 uma mudança do Ocidente para o Oriente. Os gafanhotos (quinta trombeta) representam os conquistadores muçulmanos, que assolaram o norte da África e Ásia ocidental. Barnes entende que a sexta trombeta se refere à ascensão do poder turco, culminando na captura de Constantinopla em 1453 e o fim do Império Romano no Leste. Esse é um exemplo típico da interpretação historicista.

Mas felizmente, não cremos nisso. Ainda bem! Mas gostei da interpretação dado pelo professor Hermano. Imaginem João, o apóstolo, no século I, vendo o futuro, em pleno século 21! Certamente ele nada entendeu as máquinas de hoje, e não tinha algo com que ele comparasse direito. Os árabes diziam que as antenas dos gafanhotos se parecem com os cabelos das donzelas. Então a comparação do apóstolo tem sentido! A ESTEADEB está à frente nessa interpretação. Há uma interpretação que diz que esses quatro seres terríveis presos sob o rio Eufrates, participaram da queda do homem, no jardim do Edem; e que, por isso, estão num abismo, que é um lugar dentro do Hades, que por si só já é um abismo. Ou seja, esse lugar onde estão esses terríveis anjos maus é o abismo do abismo! Deus nos guarde de ficarmos aqui. Subamos na primeira  Vinda de Cristo, é bem melhor, irmãos!

Vejam bem, na Quinta Trombeta, os demônios com aparência de gafanhotos ferem os homens por 5 meses; na sexta trombeta, os demônios matam mesmo, durante uma hora, apenas, a terça parte dos homens! O interessante nisso tudo, é que os gafanhotos vivem cinco meses somente, de novembro a março. Tremendo isso!

Bem, escrevi isso aqui para tentar falar de minha admiração em relação à explicação da ESTEADEB sobre esses gafanhotos da Quinta Trombeta, que a instituição afirma ser helicópteros, e  o barulho ensurdecedor ser o barulho dele. Gostei bastante da explicação dada. É algo para se pensar, creio.





sexta-feira, 11 de setembro de 2015

MINHA IMENSURÁVEL EXPERIÊNCIA COM DEUS





Vou contar aqui uma experiência que ocorreu comigo. Tenho certeza que vai ser de bênção para todos. Cada um tem algo de Deus para contar. Eu tenho também.

Acabava de participar de uma manhã missionária no templo sede de Jaboatão dos Guararapes, região metropolitana de Recife. Um famoso pregador estava presente NO CONGRESSO DE JOVENS DAQUELA IGREJA. Suas pregações marcaram minha vida, como também de toda igreja.

Depois do culto, ficamos, eu e algumas pessoas, esperando o culto da tarde. Tínhamos acabado de comer, e ficamos dentro do templo. Eu era um adolescente na época. Nunca havia tido essa experiência com Deus. No entanto, fazia pouco tempo que eu fui batizado com o Espírito Santo, depois de orar e jejuar por vários meses.

À minha frente, uns dois metros ou mais, estava uma jovem, que chorava copiosamente, parecia que ia morrer de tanta tristeza. Eu olhei para ela e tive muita pena de seu sofrimento. Atrás de mim, uns irmãos estavam esperando também o culto. Éramos todos jovens, a maioria. Foi então que ouvi a voz!

Aquela voz foi inconfundível, falou de um modo que foi clara como cristal. A mim perguntava se eu estava vendo a jovem. Eu afirmei que estava. Então ela me disse: “Vá lá dar uma palavra a ela!” Foi tão inusitado o fato, que eu, na hora, não atinei de onde vinha, apenas afirmei. Subitamente, olhei para trás. Ninguém. Segunda vez a voz: Você está vendo aquela moça chorando?” Afirmei com a cabeça. “Vá lá dar uma palavra a ela!” Então olhei para um casal atrás uns 4 metros de mim, e perguntei se foram eles que havia falado comigo. Negaram, assustados. Pela terceira vez, a voz firme, me ordenou que eu fosse dar uma palavra àquela jovem. Tremendo, então, fui até ela. A saudei com a paz e repeti a ordem de Deus. Na hora não sabia nem o que dizer, mas assim que abri minha boca, as palavras vieram em torrentes. Lembrei do salmo de que diz: “Abri bem a tua boca e eu ta encherei.”

Deus revelou tudo sobre a vida dela! Tudo quanto ela estava passando, Deus me revelou naquela hora, e me deu palavras de consolação e fez promessas a ela. De repente, aquela moça que estava em profunda tristeza, começou a rir de alegria! Que tristeza que nada! Ela estava quase gargalhando agora, rindo como uma criança, glorificando a Deus. IAOHU acabará de falar com ela, mostrando que estava vendo tudo que se passava com sua vida! Uma felicidade sem medida estava estampada na sua face, como um plugin de invadindo um site, assim aquela moça foi invadida pelo gozo do Espírito Santo. Eu lá, me sentindo como Samuel. Eu nunca havia profetizado antes para ninguém. Era só um adolescente! A revelação de Deus foi linda naquela tarde. Aquela irmã agora estava se sentindo forte, cheia de fé e de consolação. O Parácleto fizera um lindo trabalho nela. Nós estávamos debaixo das asas de Deus! O clima do céu pairava em nosso espírito; como Deus revela! Como Ele revela!

Depois de entregar o recado de Deus, fomos para a praça da cidade, para o culto ao ar livre, onde o pastor pregaria. Mas não fui com a jovem; ela foi com uma irmã, de carro, e eu fui a pé. Foi a última vez que a vi. E aquela experiência ficou para sempre em minha mente. Foi a primeira de muitas. Deus seja louvado! Amém.