domingo, 7 de dezembro de 2014

A DESEDUCAÇÃO DO DEPUTADO


Há coisas nos deputados das bancadas evangélicas que são contraditórias. Logo nós, que prezamos tanto a leitura, que incentivamos ela, que ensinamos os irmãos que não sabem ler, a procurarem ler.
Pois bem, o pastor Eurico, contrariando muita gente, principalmente os estudantes e os professores, votou contra a educação. Se depender dele, os royalties do petróleo brasileiro não vão para a educação, ao contrário do que querem os deputados Pedro Eugênio, Roberto Teixeira, ambos do PP.Também o deputado Fernando Ferro votou a favor da vinda desse dinheiro para a educação, mas o nosso representante, infelizmente, votou contra isso. Decepção para muitos professores e alunos de Pernambuco.
Vi isso num ônibus dia desses, quando uma professora comentava, uma indígena de Pernambuco,formada em História, que esse deputado, Pastor Eurico, votou contra a educação. Ele e o deputado pelo Paraná, pregador de multidões, Hidekazu Takayama. Vergonha. Ela estava revoltada com isso. Criticou também Eduardo Campos, de uma forma que não tenho coragem de dizer aqui. Segundo essa professora, "Eduardo teve o que mereceu", pois ele ajudou a sucatear o transporte público, deixando-o nas mãos dos empresários de ônibus. Por isso está como está.
Outros deputados que votaram a favor do dinheiro do petróleo para a educação, foram João Paulo e Pedro Eugênio, do PT.
Infelizmente, devido ao exposto acima, não posso concordar com essa atitude do pastor Eurico, de votar contra a educação, tão importante para o desenvolvimento do país. Não se sabe que motivos secretos seriam esses; se o partido ou ele, perderia alguma coisa com isso.
A esquerda, socialista, historicamente inimiga da igreja, aliou-se com o povo de Deus, sendo esclarecido que os que estão no poder queriam enfiar goela abaixo certas leis moralmente caídas, contra o bom senso. Mas o PSB também é de esquerda, cheia dos pensamentos de Marx, inimigo de Cristo,e da Igreja dele. Então os evangélicos terão que fazer certas concessões por isso. O poder os chama. Além de ser bem incoerente uma igreja tão ortodoxa, se aliar com um partido tão historicamente perseguidor dela. O poder domina.