quarta-feira, 2 de julho de 2014

O DEPRAVADO POVO DE BENJAMIM

No livro de Juízes,capítulo 20,  há uma passagem muito tristonha sobre a guerra civil que houve entre Benjamim e o restante de Israel, por causa de uma grande corrupção moral.
Havia sido estuprada a mulher de um levita, por causa da baixeza moral dessa primeira tribo. O levita então notificou isso a todo o Israel, e houve a guerra. Benjamim morava próximo aos jebuseus, povo pagão, que influenciou a tribo vizinha sua. Deus já havia advertido isso no Pentateuco, que essas nações vizinhas poderiam influenciar ela para o mal. E aconteceu isso mesmo. A corrupção moral foi demais e a tribo quase foi destruída, depois de ter vencido duas vezes Israel;no entanto, Deus deu vitória a Israel e a tribo de Benjamim, depois, foi restaurada, mas aprendeu uma bela lição. 
Isso aconteceu no tempo dos Juízes, onde não havia rei ainda, e esporadicamente Deus levantava pessoas para livrar Jacó de seus inimigos e julgar o povo.
Que coisa medonha isso. Apesar de ser  num tempo onde não havia rei, Israel foi administrado por Deus, embora o povo depois tenha rejeitado o governo teocrático que Deus exercia no tempo de Samuel, o juiz profeta. Ele foi grandemente usado por Deus para começar a fortalecer o povo de israel.
O problema foi que o povo estava agindo como Sodoma e Gomorra, cheio de prostituição, metida no homossexualismo, pois foi isso que ia acontecer se o homem que hospedou o levita o deixasse nas mãos desse povo depravado. Da mesma forma que, em Gênesis, os de Sodoma queriam seviciar os anjos, pensando que  eram apenas visitantes na casa de Ló. Até onde desceu a tribo de Benjamim! Só Deus mesmo para ter misericórdia.