sexta-feira, 11 de julho de 2014

O ANTIGO TEMPLO DO BOTIJÃO


Gostava demais da Assembleia de Deus do Botijão, no Vasco da Gama, Recife, o antigo templo. Era uma casa pequena, de barro, com pedaços de madeira nas paredes, onde ainda se punham os chapéus dos irmãos. Era muito frequentada naquela época.
Os cultos eram bons, uma bênção. Na frente do templo, havia um pé de palmeira, não lembro que espécie, pois há muitas. Na hora da escola dominical, muitos de nós ficávamos conversando lá, pois fazia sombra bastante. Na parte de trás, havia um tanque e um banheiro, e um quintal bastante amplo. De lado, havia algumas casas, onde funcionavam o anexo da escola dominical, e também a casa do zelador.
Dia de domingo, o Botijão ficava lotado, a mocidade era bem dinâmica, cheia da graça, pregava, fazia uma obra grandiosa naquele tempo, no qual era dirigida por uma irmã bastante dinâmica.Os cultos para a mocidade dessa igreja eram um pentecoste, bastante conhecido. Vinha gente de todo lugar. As "partes", espécie de jogral, era impressionante, bem feitas. Naquele tempo, a mocidade também ia apresentar sua campanha nas igrejas, e falavam quantas almas foram salvas, batismos, curas... Todo mundo gostava dessa tradição.
Era os bons tempos do Botijão. A maioria dos irmãos que moravam  lá  não estão mais morando lá, nem fazem mais parte nele.Outros, dormiram no Senhor. Mesmo assim, lembro muito da dirigente das crianças, a irmã Maria de Alcântara, que dirigia o culto infantil, onde Deus operava e fazia milagres. Muitas crianças foram batizadas com o Espírito Santo, curadas, Deus operava muitos milagres naquela época, como operava hoje, embora menos, por causa da falta de fé de muitos. A irmã Maria, mesmo com aquela sua rigidez, era muito amável com a obra de Deus, e fez uma grande obra. Deus a usou de uma forma especial, para moldar o caráter de muitas crianças,pois ensinava elas a orarem e louvarem a Deus em verdade. Não há mais dirigentes de crianças, hoje em dia, como a irmã Maria de Alcântara.  Que grande serva de Deus.
Não esqueço um irmão idoso, que conhecia muito a Bíblia, que sempre que os irmãos, quando iam orar, perguntavam quem mais desejava oração, enquanto todo mundo dizia eu e minha casa, ele dizia "eu e minha família, a casa é de tijolo", na maior simplicidade do mundo. Outro jargão dele dizer: "do céu pra terra, e da terra pro céu, aleluia!, quando a igreja estava "pegando fogo". Orava sempre nos cultos, e mesmo velho, frequentava bastante a igreja. Era uma bênção.
Outro que impressionava no Botijão era o irmão Manoel. Sabia a Bíblia de cor, de maneira que impressionava; dava um estudo como ninguém,seu conhecimento bíblico era admirável. Todos gostavam dele, de ouvir sua mensagem. Era uma maravilha.
Gosto de me lembrar do Botijão. Por ora, é só isso. Falarei mais.