quinta-feira, 1 de maio de 2014

OS COSTUMES E A FRÍVOLIDADE



Fico pensando na relação de Gálatas capítulo 5, sobre as obras da carne. Muita gente não se dá conta dos pecados ali relacionados.Não tem nada a ver com costumes, mas são coisas bem diferentes.O problema de muitos irmãos é que só relacionam  pecados  à calça para mulher, pintura na face, cabelos, brincos e pulseiras, saias curtas... Colocam no inferno todas as nossas irmãs das igrejas históricas como batistas, presbiterianas, congregacionais...Não quero dizer que tudo que fazem é certo, mas também não posso aceitar que pecado seja isso. Tudo isso é questão cultural, pois a maior vaidade é a do coração, soberba, que muita gente ignora. Essa é perigosa.
Pedro e Paulo aconselharam as irmãs a serem simples. Mandamento. Mas percebam que não proíbe o uso, mas o exagero disso.É a ênfase a isso. É preciso entender a influência européia sobre nós. E também o contexto histórico-cultural bíblico. Lembre-se que o mordomo de Abraão deu bastantes jóias a Rebeca. Cultura. Em Isaías 3, Deus fala em tirar as jóias devido ao pecado de orgulho, opressão, dessas mulheres,pois maltratam seus irmãos, e não por serem ruins em si mesmas.Lembrem disso. As noivas se enfeitavam com muitas jóias. Não exageremos.Fiquemos com a Bíblia somente, e não a mesclemo com meros costumes, que não salvam ninguém. Quando muitos pregadores vão pregar sobre ser fiel a Deus, enfatizam os costumes, usos de pulseiras, e tudo isso acima citado.Deviam ensinar a palavra como ela é. Essas invenções deixem para lá.Todos eles passam, mas a doutrina é eterna. Vejam o caso da televisão. Nos anos oitenta era pecado ter uma. Diziam até que quem tivesse não era crente de verdade!Hoje em dia há bastante aparelhos no Templo Central, pendurados.Costumes. Se fosse verdade o que os pregadores diziam sobre ela, estaríamos condenados! A palavra de Deus é eterna, mas costumes são passageiros. Diferenciemos os costumes da Palavra de Deus. Eles jamais podem ser comparados à Bíblia.