sábado, 26 de abril de 2014

FÉ E BENZETACIL



Um dos programas mais bem vistos na RBC1, TV, CANAL 14,canal pertencente à Igreja Evangélica Assembleia de Deus (IEADPE) em Recife, coordenada pelo pastor Aílton Jose Alves,tendo como vice-presidente o pastor Aílton Jùnior, é o da irmã Luciene Brito, "Fé Para Viver". Seus conselhos são firmes, verdadeiros e claros. Curta e objetiva.Muitas vezes, verdadeiras injeções de benzetacil na alma. Dói, mais é bom, ao final do "tratamento". Ela não pensa duas vezes em falar a verdade, se precisar dizer algo duro, ela diz.
A maioria das cartas que chegam é sobre relacionamento de casais, tanto de evangélicos ou de não-crentes, que também escrevem para o pregrama, e a mesma aconselha com  intrepidez. O bom é isso. Os programas que assisti dela, já deram para ter uma boa ideia do que a mesma é capaz. Alinhando experiência e a Bíblia, ela pode até "salvar" relacionamentos. Parece que é um dos programas mais vistos e conceituados dessa tv. Se ela é implacável na TV, imaginem como ela não é num consultório.Se bem que não acredito que ela possa ser mais rígida do que já é na TV. Será?
Num mundo onde as pessoas estão sofrendo com tanta depressão, e relacionamentos se acabando por causa de tanto pecado, é bom ter aconselhamentos com base na Bíblia, a única coisa que pode combater isso.
Se todas as mulheres que escrevem pusessem em prática  o que ela aconselha, certamente  se dariam bem na vida e no relacionamento, pois é com base bíblica que ela dá esses conselhos. São conselhos práticos, já que não dá para lidar com as pessoas que mandam as cartas de forma mais pessoal, por se tratar de um programa na TV. A igreja está deixando de ser tão exagerada espiritualmente, muitas coisas que se resolviam só com  oração (seria bom que continuassem se resolvendo orando) agora a ciência dá uma mãozinha. E os conselhos, por se tratar de um programa dirigido primeiramente a evangélicos, não seguem de perto a cartilha de Freud. Espero que não chegue a ser como certas igrejas, que por darem tanto valor ao conhecimento, esqueceram a vida espiritual.Tornaram-se secularizadas. Tem esse lado também. Nos anos oitenta isso era impensável de ser realizado. Ninguem nem cogitava que a igreja Assembleia de Deus tivesse um programa na televisão, já que TV era "pecado", algo que até era "provado", segundo o que interpretavam em Ezequiel, o capítulo oito desse profeta referido acima. Pois bem,mudou mesmo a igreja, já que, oficialmente não é  mais pecado por-se diante desse aparelho, se não o que seria dos aparelhos de tela plana no Templo Central, igreja sede? Que bom então. Aprendemos a ser mais seculares em algumas coisas.Mas, mesmo assim, muitas vezes é difícil desvencilhar a psicologia do secularismo.Em certas situações, preferimos continuar sendo exacerbados espiritualmente.
Há um programa de outra tv evangélica que faz isso também, cuidando de relacionamentos, mas que nunca usa a Bíblia para aconselhar; apenas conselhos baseados na teoria psicológica. Seria aceito essa forma de lidar, se fosse um programa numa tv secular, mas se o público é evangélico, deveriam primar pelo ensino bíblico,como faz a nossa irmã Luciene, pois a Palavra de Deus é nossa regra de fé e prática.
Quem quiser um aconselhamento rápido e prático, escreva para feparaviver@rbc1.com.br, e apreciem a sabedoria de nossa irmã Luciene Brito, a conselheira e psicóloga cristã.