segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

A DIFICULDADE DO EVANGELHO NA CULTURA DE GUINÉ-BISSAU

Foto: Missões em Primeiro Lugar -missionária Mísia e o irmão Nelson
A igreja evangélica  Assembléia de Deus de Recife, é uma das poucas que têm uma missão evangélica na África, em Moçambique e Guiné-Bissau, na região Leste desse continente. A missionária Mísia  e o irmão Nelson estão lá, enfrentando a influência muçulmana, que ainda é muito forte no Continente, desde meados do século XII. Não é fácil o trabalho deles lá, já que enfrentam essa cultura e influência árabe nessa região.
Num domingo--09 de fevereiro de 2014, houve um culto em algumas congregações da Assembléia de Deus em Recife, do pastor Ailton, e essa nação costeira foi o país em foco, Guiné-Bissau.
A influência dos costumes fulas e mandigas lá ainda é muito grande, e faz com que esse povo tenha uma estreita relação com os muçulmanos, o que dificulta a apreciação do evangelho entre eles. Há regiões em Guiné que a predominância muçulmana é grande ainda. Esse país está numa região por nome Senegâmbia, onde os católicos chegaram por volta do século XVI.
É mais fácil pregar no litoral do que no interior, região dominada segundo dados de um trabalho, a primeira missão protestante foi em meados do século XX: a Worldwild Evangelization Cruzade (WEC), em 39-40 do seculo passado, em Bolama.
Há protestantes nas regiões de Oio, pronvíncia Leste (Bafatá, Gabu), e em núcleos urbanos como Pirada, Contuboel, Bambandinca, Farin,Mansabá, mas muito poucos, tendo diminuído muito desde a independência, segundo estudos feitos.Na região de Bafatá, o número de evangélicos não é mais de maioria caboverdeana, mas de balantenses.
Segundo esse estudo, há poucos missionários enviados para essa região, e os que vão para lá, passam pouco tempo, e não fundam igrejas; mas a igreja de Recife lá está crescendo, a Escola Dominical lá é bastante grande, Deus está curando, como foi dito pela própria missionária, a irmã Mísia. Um testemunho interessante foi o de um irmão em Guiné que estava há quatro anos desempregado, e Deus abriu uma porta para ele.Devido a um acidente,com eletricidade, sua mão abriu, ficando um corte profundo e de difícil cicatrização. A igreja orou e Deus fez um milagre. Em poucas semanas ele estava de volta, o que normalmente podia demorar muito, até meses, devido ao problema ter sido grave. Deus continua salvando, embora o percurso para  as ilhas seja difícil.
Algumas igrejas, fora a Assembléia de Deus, também mantêm missão por lá, como a IURD --- Igreja Universal do Reino de Deus, Igreja Deus é Amor, que chegou lá em 1997, enquanto que a primeira, em 1996. O núcleo de igrejas evangélicas começou em 1976, com o pastor britânico David Smith, que fez um bom trabalho por lá.
Os muçulmanos dizem que a cultura deles-- Fulas e Mandingas--, impede que o catolicismo e o protestantismo tenham algum êxito por lá, mas se enganam, pois o que move a igreja é o poder do Deus, que o mundo não vê nem conhece, preferem se basear em meros estudos,que, muitas vezes, não são totalmente honestos, e veem tudo de maneira distorcida, pois o evangelho é poder de Deus, e salvação para os que creem, primeiro do judeu, depois, do grego. Além do mais, a igreja Assembléia de Deus é uma igreja que busca os dons do Espírito Santo, e através de curas e milagres, Deus vai fazendo notório seu nome nessa região da África. O maior erro do povo dessa região é achar que Cristo é como Maomé, um simples profeta, mas isso não é verdade, e esse é o grande diferencial da igreja de Cristo, pois ele ressuscitou dos mortos e está à direita de Deus, como ele mostrou em Mateus 28, e outras partes da Bíblia, como em Atos 7, onde Estêvão o vê em pé para recebê-lo. Maomé está lá no seu túmulo, mas Cristo está vivo para todo o sempre amém,e tem as chaves (poder sobre) a morte e o inferno, como diz Ap, 1.18.
Apesar dos muçulmanos terem "convertido" uma boa parte desse povo, isso não provocou uma arabização do povo guiné, nem impôs ele a uma interpretação exagerada do Corão, segundo esse estudo feito (DIAS, Eduardo Costa,Lusotopie,1999, pg 309-318). Cristo lá é conhecido como Anabi Iça, e o consideram como sendo  apenas um antecessor de Maomé. Ele é mais do que isso, como diz o Salmo 110.1, repetido por Pedro em Atos 2.34: "Disse o Senhor ao meu Senhor: assenta-te à minha mão direita até que ponha teus inimigos debaixo de teus pés..." Esse é nosso Cristo.
Oremos para que essas dificuldades encontradas por nossos missionários em Guiné, possam ser superadas e o reino de Deus cresça mais e mais e haja curas e mais curas, expulsão de demônios e que todos conheçam a Jesus.