domingo, 12 de janeiro de 2014

OS CINCO CONSELHOS DO APÓSTOLO PAULO AOS CORÍNTIOS

"E estas coisas foram-nos escritas em figura,  para que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram" (1 Cor 10.6).

Depois de aconselhar os crentes sobre casamento (cap. 7), processo contra o irmão na justiça (cap. 6), e fornicação (cap. 5), o apóstolo  Paulo aconselha a igreja a evitar certos erros ocorrido com Israel em sua peregrinação para Canaã, para que eles não repetissem os mesmos erros deles, que foram muitos. No verso sete ele exorta a igreja a não ser idólatra, como alguns deles foram, fazendo  o que Deus proibiu deles fazerem, principalmente no caso do bezerro de ouro a abominação que eles adoraram, dizendo que eram seus deuses, e que mais tarde Jeroboão fez cópias deles, para que o poder dado por Iavé lhe fosse assegurado, pois o povo ainda ia para Jerusalém adorar a Deus, no templo (1 Rs 12.26ss ). Isso foi abominação diante de Deus, e muitos deles morreram na idolatria, infelizmente.
Segue o apóstolo no verso oito falando sobre a fornicação, relacionada com a idolatria, pois depois o povo se levantou para fazer  o que não devia, praticando adoração aos ídolo de ouro diante do monte de Deus, como se Ele não merecesse  nenhuma adoração e respeito. Fizeram bacanal.Estavam entregues aos prazeres sexuais, ele fala no verso seguinte, tentando a Cristo, pelo fato de estarem comendo do Maná, sendo guiados pela pedra espiritual que os seguia, não a pedra da lenda rabínica, que dizia que uma rocha seguia o povo e indicava onde havia água, isso é pura invenção deles, era o próprio Deus quem os conduzia pelo deserto, ensinando eles a serem um povo, dando a eles leis ordeiras, estatutos, tradições, como a Festa da Páscoa, que falava da saída do Egito.
A murmuração foi um pecado grande, ainda que Deus dissesse a eles que não murmurassem, pois havia provisão diária, o Maná e outros alimentos como a carne de aves por um mês inteiro (Nm 11), por causa da  murmuração deles, que estavam querendo voltar para o Egito, apesar de lá serem escravos, levando uma vida de desgraças sobre desgraças, sem perspectivas nenhuma, apenas trabalhar e morrer sem nenhuma garantia. Deus transformou eles numa nação organizada, usou Moisés para treinar eles como um exército.Deus deu muito a eles, e o que eles tinham que fazer era só agradecer, mas no Salmo 78; no Salmo 105; la é repetida a história dos hebreus, uma compilação do Pentateuco.
Paulo aconselha eles a fugirem da idolatria, isso numa cidade extremamente depravada,onde existia mais de mil prostitutas de Afrodite, a deusa do amor, a mesma que era adorada pelos romanos no sincretismo religioso que houve, quando a cultura grega foi absolvida pela dos romanos. Quando alguém queria dizer que alguém era depravado, dizia que a tal pessoa era um coríntio, ou mesmo uma mulher. Existia também um templo do deus Apolo, ou Hermes, mensageiro dos deuses. Era uma cidade riquíssima, um entreposto comercial, reconstruída por Júlio Cesar por causa da sua importância política e cultural. Quando Paulo escreveu a Carta aos Romanos, foi de lá, observando a vida devassa dessa cidade, como os moradores se portavam, o que eles faziam.Paulo passou ali 18 meses seguidos, tamanho era a necessidade da cidade, a cegueira espiritual. Tinha que ser crente  de verdade para morar em Coríntio. A guerra era uma guerra renhida, a batalha era espiritual, a igreja tinha os dons que precisava, como Paulo diz no capítulo primeiro. Ele fala mais na frente das dissenções que houve entre os irmãos, a carnalidade no capítulo 5, as demandas entre os irmãos, no capítulo 6, as questões sobre o casamento e o jugo desigual, no capitulo 7, as coisas relacionadas aos ídolos, no capítulo 8, e ele vai instruindo a igreja sobre a ordem dos cultos, sobre os dons, a Ceia do Senhor, no capitulo 11, que  muitos deles não estavam considerando como santa,mas como profana, e o apóstolo vai ensinando que é preciso respeitar isso, pois naquela época eles comiam mesmo, não era como hoje, era realmente umas refeições que faziam no templo.
Deus foi se utilizando de Paulo de forma grandiosa, fazendo grandes coisas e ensinando tudo referente ás doutrinas cristãs, para que o povo de Cristo crescesse de forma sadia e feliz. Que assim vivamos hoje.