quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

ISAÍAS 43: AINDA ANTES QUE HOUVESSE DIA, EU SOU


 Essa profecia é contundente, bate forte. Deus começa dizendo que remiu a Israel, que deu a Etiópia e o Egito por ele, pois a terra desses países foram acrescentadas ao império Persa através de Cambises, filho de Ciro,o grande. A palavra usada para resgate é ga'al, servo, de go'el; e foi o que Deus fez pelo seu povo.
A base das promessas de seu povo foi a sua graça, que através do sofrimento, fê-los ser o povo que era, de Deus, e uma nação que foi fundada para ser um testemunho de Deus na terra, onde falharam pela desobediência, infelizmente.
Deus convoca Israel como testemunha dele, do que fez, do que está fazendo, e até do que fará, enquanto que chama os falsos deuses, através das nações, para trazerem seus adoradores a virem com  provas de que eles são deuses mesmo. Mas Israel sabe quem é Deus, já o provou através de muitas coisas, já testemunhou seus milagres, como no livro dos Juízes, onde mostra as libertações que IAVÉ efetuou com seu grande poder. É lindo quando ele diz que  "antes que houvesse dia EU SOU",lembrando o encontro com Moisés. Deus é autoexistente, e iria fazer uma obra e ninguém iria impedir.E assim é conosco, se Deus quer agir, ninguém, e nem nada, pode ser um impedimento para os seus propósitos. Só temos que aguardar.
Deus iria derrubar o Império Caldeu e iria fazer seu povo retornar através do deserto, e isso seria uma coisa nova. Da mesma forma como ele abriu um caminho no Mar Vermelho, também abriria um caminho através do Deserto da Síria, região bastante difícil. Olhe como Deus fala para esquecer as coisas passadas. Abrir um caminho no mar foi uma coisa nova na época da libertação, e na libertação da Babilônia, o caminho seria no deserto, e todos os animais do campo, provavelmente as nações, se alegrariam disso; que bela metáfora usada aqui! Linda! Israel seria uma grande testemunha, mais uma vez, do poder realizador de seu Deus.
Os caldeus fugiriam diante do poder avassalador da Pérsia, uma coligação formada também pela Média e outros povos, que mais tarde foi sobrepujada pelo primeiro. Essa profecia também foi proclamada por Jeremias, no capítulo 50 e outros, quando fala da queda da Babilônia. De tanto medo que teriam os caldeus, eles sairiam fugindo, os temidos caldeus, que amedrontavam os povos, o reino cabeça-de-ouro agora já era, Deus se vingaria deles por causa da opressão sobre o seu povo, setenta anos de cativeiro. Habacuque viu bem isso em seu livro, no capítulo 2, onde mostra que não entendia a razão de Deus permitir que uma nação mais ímpia que Israel, seria seu algoz. Deus responde dizendo que o tempo dessa nação também chegaria. E chegou.
Mas essas bênçãos viriam apenas depois que Deus fizesse uma obra neles.
Babilônia foi um "belo" castigo sobre eles, que deixaram seus Deus e serviram aos baalins, cujo culto envolvia sexo livre, orgias, homossexualismo desenfreado, que era um culto a esse deus, chamado de deus da tempestade e do trovão, e da fecundidade, marido de Astarte, ou Astorete, a deusa do amor, também conhecida como Vênus, e também Diana, dos efésios, na Ásia Menor, onde Paulo pregou, local que hoje em dia fica na Turquia. Esse culto também envolviam sacrifícios de crianças,o que IAVÉ abominava terrivelmente. Era preciso que Deus fizesse o que fez; e só então Israel seria abençoado por Deus.
Deus ainda fala que seu povo pecava desde seus pais, se referindo à mentira de Abraão, quando mentiu para fugir de Faraó e Abimeleque, por causa de Sara, sua bela mulher. E até seus líderes também haviam pecado, e tinham esquecido suas Leis. Mas o importante é que Deus estava pronto para consertar tudo.
E, assim, o povo teve uma grande libertação, quando o decreto de Ciro saiu e eles voaram alto como pássaros.
Dessa forma, tirando um império e pondo outro no lugar, a promessa foi cumprida e os intentos de Deus, realizado.