segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Tudo pelo R eino de Deus

 

eles têm amor a Deus

E esse amor os constrange,

Pois cumprem os planos Seus

Mesmo que sangue se derrame.

Vão a países diversos
depois de muitos processos
Que os preparam fortemente.
Revestem suas mentes
Com a cultura celeste
E de Deus absorve
O poder inflamante.

Chegam a outro país
E se deparam com ternura
Com um povo diferente,
De uma outra cultura.

Não prega-lhes coisas fúteis,
Mas sublime virtude
Que expulsa o Diabo, o mal:
O inescrutável poder celestial.

Eles são tão-somente
O exército de frente
Em busca dos perdidos
Enfrentando assim os piores perigos.

Procuram se adaptar,
Os costumes estudar
Como um bom aprendiz,
O modo de ser e viver desse mesmo país.

Enfrentam a oposição
De outra religião
E de modo explícito
O ódio e a opressão
De muitos políticos.

Muitos enfrentam prisões
Que causam traumas e vergões
Mas não desistem, pois sentem
O amor de Deus impelindo-os,
O espírito n’Eles caindo
Os fazem mais competentes.

Os opositores fanáticos
De um modo um tanto sádico
Procuram impedi-los pregar
A essência verdadeira
Da palavra que semeia
E que os pode transformar.

Por isso a igreja
Nessa renhida peleja
Tem um papel de muita precisão:
Ela deve se ater ao que é seu dever:
A potente intercessão.

A luta é contra as trevas,
Todas as hostes infernais.
Nós usamos armas em Deus poderosas
Tais quais em nenhum outro há:
Mais potente que metralhadora, míssil
Ou mesmo arma nuclear.

Eles sacrificam suas vidas
Por essa obra eterna;
O amor de Deus sem medida
Dilui-se neles controlando-os
E cada vez mais vão se dando,
Mesmo que se gastando
Finde toda sua lida.

É preciso oração com todo coração
Ajudar-lhes prontamente.
A igreja é um corpo
Por quem Cristo foi morto
Com esse propósito somente:
Falar ao mundo desse belo assunto:
Deus, amor permanente.