quinta-feira, 17 de novembro de 2011

PAULO E A OLIMPÍADA



Ao lermos II Coríntios 9.24, nos deparamos com uma expressão de Paulo que muita gente ignora o que significa. Uma prova de que podemos tirar lições de muitas coisas consideradas mundanas e fúteis por muitos cristãos.

O apóstolo se refere ali às olimpíadas realizadas em seu tempo, surgida na Grécia no ano 776 A.C., nessa nação que tanta contribuição tem dado ao mundo. Existiam varias modalidades, como a luta corporal, corrida, lançamento de disco... Era bem diversificado, não tanto como hoje, mas havia isso. A vida cristã, segundo Saulo, era assim também. Tem sua rigidez, sua renúncia; tinha que se privar de muitas coisas que para outros são normais. Ainda hoje é assim. Há atletas que sofrem muito para poder alcançar o prêmio a eles prometidos. Se referia também aos estádios onde ocorriam esses jogos. A vida de atleta, mesmo naqueles tempos era uma vida de sofrimento.

Em II Tm 4.7 há também uma referência à vida de atleta. Pelo contexto se depreende que é preciso se cuidar para que haja perseverança na vida cristã; não se deve dar ouvidos a ensinamentos diabólicos. No verso 7 ele manda que haja exercício na fé. Outra  referência à vida dura dos que praticavam os jogos. Ele continua falando disso no verso seguinte. Compara o exercício físico com a piedade. O primeiro é pouco proveitoso se comparado com o segundo, mas de grande proveito em si. Assim como os atletas faziam exercícios para poder vencer os jogos, devemos também  praticar esses exercícios, para que o crescimento seja completo. Ele recomenda isso para todos os cristãos, para que com isso, fortaleçam os músculos da fé e à   piedade, que é o cumprimento da palavra.

Mas claro que não foi só Paulo quem escreveu se referindo às olimpíadas. O escritor aos Hebreus, depois de falar sobre os heróis da fé, explica que é como no estádio, na olimpíada. Esse livro foi escrito no ano 67-68 d. C. Depois de falar sobre os heróis da fé do capítulo 11, ele fala no capítulo 12 sobre o estádio, a maneira com que os expectadores ficavam olhando quem lá estivesse. O cristão está no mundo como se fosse o atleta no estádio. É a nuvem de testemunha. Elas nos rodeiam como rodeavam os atletas nos estádios. Como aqueles heróis são as testemunhas, podemos  dizer que o povo que nos rodeia são também testemunhas do que somos.

Como Paulo recomendou, devemos combater o bom combate, como um atleta devemos lutar segundo as regras que a nós são dadas por Deus, regras essas que estão na sua palavra, as quais nos farão ganhar o prêmio que nos será dada na eternidade nos mais diferentes graus.