quarta-feira, 15 de outubro de 2008

RESPOSTA AO ARTIGO DO PASTOR WAGNER

Eu achei interessante o artigo do pastor Wagner, do Life do mês de maio. Foi um artigo saudosista, no qual ele faz um resumo sobre tudo que está acontecendo na igreja de hoje. Na maioria das coisas eu concordei com ele. É isso mesmo. A igreja esta muito mudada, há realmente muitas coisas erradas. Mesmo as igrejas que condenavam muitos costumes que hoje estão tão difundidas nas igrejas pentecostais e neo-pentecostais (principalmente as históricas), estão fazendo o que tanto condenavam. É muito estranho. Esse pastor mostrou ser um pastor lúcido, cheio de convicção na fé. Faz-me lembrar do que o apóstolo Judas escreveu em seu livro: “lutar pela fé que uma vez foi dada aos santos”. Ele está fazendo isso. Que continue assim, sem, contudo, colocar essas coisas como esteio do Evangelho, como os formalistas costumam fazer.
O que ele falou sobre os hits é pura verdade também. Lembram de Acaz? Ele imitou um altar que encontrou na Assíria, pediu para o sacerdote fazer um igual. Como hoje em dia. Lembro das versões dos hinos que se fazem hoje em dia, versões de músicas dos Beatles, da Jovem Guarda,, dos bregas, colocando letras evangélicas. Há cada coisa ridícula! Tem uma que é um brega, no qual a letra exalta os homens que choram diante de Deus. A intenção pode ser boa, mas é um pouco ridículo. Lembrei de muitos outros, que não vale à pena falar aqui. Precisamos mesmo de pastores assim, corajosos, que não se curvem diante dessas estátuas babilônicas. Há alguns exageros, como no parágrafo onde ele fala que os evangélicos, principalmente os pentecostais, se vestiam com roupas “formais”. O problema é que ele não sabe que aí há uma certa cultura “importada” da Europa. Por exemplo, o fato de se usar vestidos de manga comprida. Ora, as irmãs faziam isso por que na terra delas, de clima temperado, era preciso roupas assim. Aqui, não. Aí se conservou esse costume. Até hoje. Não concordo com o fato de colocar esses costume como doutrina imprescindível para o Evangelho. Não é. Mas se alguém quer agradar a Deus assim, que se vista assim. No entanto, não se deve ensinar isso como doutrina bíblica. Não dessa forma.
Fiquei espantado com o fato do maestro colocar quatro páginas só para isso (geralmente ele coloca em vários números); bem, pelo menos é algo bom, não aquelas coisas vazias que às vezes sai no Life News, como aqueles artigos repetidos, ou aqueles textos que as meninas mandam. Lembrei daquela novela ridícula sobre um casal que namorava e depois se separaram. No leito doente de um hospital, eles se reconciliaram. Achei muito meloso.
Sobre as Bíblias, concordo com ele. Exagero, tantas Bíblias voltadas para determinados segmentos da população- o Evangelho nunca precisou disso. Ele está certo quando diz que quase ninguém lê. Façam uma pesquisa. São muito pouca as pessoas que observam esses estudos e comentários nessas Bíblias. Creio que está havendo um certo exagero nessa parte. A mensagem da Bíblia é uma só. Gostei muito da visão desse pastor. É um grande observador. Mostrou muita lucidez no que escreveu. Tenho certeza que muitas pessoas que leram esse artigo, não concordaram com tudo o que ele escreveu. Eles têm todo o direito.
Sobre a prostituição ele também acertou. Começando por muitas irmãs que se vestem sensualmente, tendo prazer em mostrar certas partes e indumentárias de seus corpos. E não venham me dizer que elas não observaram como estavam, pois uma mulher passa pelo menos meia hora só se olhando no espelho. Elas fazem isso de propósito. As que negam sãos as mais sensuais que tem. Todo mundo conhece aquela cantora trash que é conhecida como a “Rainha do Bumbum”. O outro vocalista de um grupo baiano se diz “evangélico”, o fruto é de quem vive ainda na gandaia. Cadê os frutos da mudança? Nem de longe se vê. Eles estão de olho é no mercado fonográfico evangélico, isso sim. Vá acreditar que eles se converteram...
Pra terminar, pois não quero falar sobre tudo, quero argumentar acerca dos corais e grupos evangélicos de hoje. Houve muitas mudanças, concordo, mas ainda não está tão corrompido da forma como ele escreveu parece que todos se corromperam, não há nada de bom. Isso é um exagero da parte dele.
No geral, o artigo dele é muito bom. Falou o que eu sempre achei. Essas mudanças são verdadeiras e causam muita dissenção no meio do povo de Deus. Nós temos que clamar contra isso, fazer o que manda a palavra de Deus; é isso que Deus manda na Sua Palavra. Amém.