terça-feira, 14 de outubro de 2008

A NOVA ONDA É ESSA: CRISTOTECA

Foi de manhã que eu vi a matéria. Vi num programa de variedades, após um programa de notícias. No rio de Janeiro é comum nos templos católicos acontecer uma balada bem comportada.
O pároco é até jovem, cerca de uns 30 anos de idade. A primeira coisa que se via na matéria era a missa, que breve daria lugar a um balançar o esqueleto e curtir da juventude numa boa,sem álcool, cigarros, êxtase, etc, tudo feito de modo que pareça um culto evangélico. A imitação é gritante.
O repórter entrevistou o pároco, e ele disse, respondendo ao jornalista, que ali é tudo para a glória de Deus. A matéria mostrou que ali há encontros, paqueras, tudo que acontece numa balada, menos depravação e sexo livre, nem qualquer espécie de luxúria. Quando dois jovens dançam agarradinhos ele chega perto e pergunta se o Espírito Santo tem lugar entre eles. Faz isso de modo que eles entendam tudo. E eles parecem, respeitam isso. Um casal de jovens disse que se conheceram ali. E pareciam bem felizes da vida.
Parecem santos. Parecem transformados. Parece que têm Deus na vida, mas suas obras e seus frutos testificam contra eles. “Pelos seus frutos os conhecereis”, disse Jesus.
A bebida é bem diversificada, bem energética. A música é black music gospel e house e similares. Eles dançam à vontade, curtindo a vida adoidados.
E eles acham que os pentecostais crescem e têm muito dinamismo simplesmente pelo fato de fazerem coisas como festas para a juventude, e outros tipos de diversão. Esquecem, ou não sabem que o evangelho é poder de Deus e salvação para todos os que crêem.
Já faz algum tempo que esse seguimento religioso imita os evangélicos; dizem que o Espírito Santo domina a vida deles, mas não deixam os santos católicos, a idolatria. O evangelho é transformação, é muito mais do que pensam.
Já há um seguimento evangélico que brincam o São João, carnaval e outras festas. Não admira que os católicos também façam. Tudo em casa. Não há diferença então. Tanto um como o outro estão equivocados.
O que revolta mesmo é usarem o nome de Cristo em coisas tão fúteis. O nome precioso de nosso Mestre em coisas tão banais. O nome de Jesus está acima de todo nome aqui na terra, como disse Paulo. Ele é Deus, Todo- poderoso, Onisciente, Onipotente e Onipresente. Merece muito mais respeito. Amém.