quarta-feira, 15 de outubro de 2008

IDOLATRANDO UM STATUS

Tenho observado como as pessoas gostam de estar sempre tendo honras, sempre por cima. Como se apegam a um certo tipo de status. É incrível o que muita gente faz para sempre estar sendo considerada por todos.Se eles vêem que estão perto de perder ou correm o risco de perderem certos privilégios, ficam contra os amigos, família, tudo que se lhes opõem. Apegam-se com seu modo de vida como uma coisa que ele não pode nunca perder. Têm que ter isso.
Tenho reparado que isso acontece até na igreja de Deus. Ter um cargo é o sonho de muita gente. Fazem de tudo. Se quisessem isso para a grandeza de Deus – o que só alguns querem– seria muito bom. O problema é que grande parte deles, se não a maioria, querem apenas ficar experimentando os privilégios desse tipo de coisa. Se possível for, eles estranham qualquer pessoa que se colocar em sua frente, mesmo algum parente seu. Para ficar sendo bem visto por todos, alguns renegam até a verdade, só para não perderem o privilégio das honras. Diante de todos eles ou elas são aquelas figuras perfeitas, sem mancha, que cumprem todos os seus deveres, nunca erram. Apenas ficam sozinhos com os mais chegados, mostram a verdadeira natureza que eles mantêm presa diante da multidão. Só mostram em algumas circunstâncias. São como animais treinados. Sabem fazer muitos truques, mas em suas naturezas não passam de animais treinados. A natureza é a mesma, embora eles ajam como se não fossem dessa natureza. E assim enganam muita gente que não vive com eles. Idolatram o status de uma forma que faz com que se arrepiem os cabelos de qualquer um.
Acho que a igreja seria o único lugar que não deveria haver essas coisas. O povo de Deus deveria viver longe disso. Mas é a própria Palavra quem diz que haveria isso na igreja! Nós temos visto muita coisa desse tipo acontecer por aí. Há pessoas que precisam de uma conversão mesmo. Precisam mudar. Embora sejam dinâmicos na igreja, preguem bem, ensinem música, dirijam coros, são nesse ponto, “doentes”, digamos assim. Não têm amigos de verdade, por que não se entregam a essa amizade. Sempre ficam com um pé atrás quanto a isso. A relação deles com as pessoas são muito estranhas. Esquisitas mesmo. Num lugar como a igreja, onde a amizade deveria ser bem cultivada, pois a Bíblia incentiva isso, há certos tipos de coisas que envergonham o nome de Deus. Quem está de fora fica sentindo nojo disso.Tem coisas que mesmo alguém que não conhece o evangelho, despreza, como uma pessoa que por causa de um status, ou privilégio, mudam seus humores com muita facilidade. Seus modos de tratar as pessoas mudam de acordo com as circunstâncias. Valorizam ou ficam de bem com quem pode lhes oferecer mais. Mesmo sabendo que isso é errado, continuam dissimulando, fazendo de conta que não estão entendendo nada.
Uma das causas desse tipo de atitude é a covardia. O medo, a criação, os valores aprendidos com seus pais. Famílias desestruturadas geralmente produzem pessoas que agem dessa maneira. Elas precisam de oração, de compreensão, pois acham que estão agindo certo fazendo tudo para ficar tendo os privilégios que têm. Sendo uns servos de Deus, devem ser os primeiros a ter vergonhas dessas suas atitudes. É o mais natural a fazer.
Existem maneiras de tratarem disso. Primeiramente é orar, depois aconselharem-se com um pastor bem preparado tanto espiritualmente quanto secularmente, para poder terem uma visão bem estruturada de tudo que está acontecendo com o indivíduo. Alguém que tenha visão de Deus para perceber e discernir muitas coisas estranhas que acontecem na Casa de Deus.
É preciso ter muita paciência e cautela ao lidar com gente assim. De uma hora para outra elas pode virar inimigas de quem apenas quer ajudá-las. Seja qual for a boa vontade de quem quiser ajudar, elas só percebem aquilo que elas querem perceber. O melhor a fazer então é ficar na defensiva e pedir a Deus que tudo seja resolvido. O tempo ensina muita coisa.