quarta-feira, 15 de outubro de 2008

CANAL DA PERDIÇÃO

Desde que foi inaugurada, em 1966, a Globo tem influenciado a cultura brasileira em todos os sentidos possíveis. Começou como uma simples tv, sem muita influência. Recebendo dinheiro de empresas americanas, ela começou a crescer, propagando cada vez mais a Cultura Yank. Depois da novela “Dance Days”, ela deslanchou. Foi um sucesso tremendo, influenciando os brasileiros de forma descomunal. A partir daí a Globo viu que poderia, e muito, fazer a cabeça de quem quisesse, lançar a idéia que quisesse, pois possuía essa força.
Tendo com carro chefe as novelas – quatro por dia- essa tv tem até influenciado na ascensão de presidentes da República, como Collor, o qual a Globo ajudou a ascender, e ela mesma fez com que ele descesse bem fundo ao poço do fracasso quando não era mais do seu interesse defendêlo. É um absurdo como todo um povo se deixa levar pelos modismos de uma emissora de televisão, com acontece aqui no Brasil. Qualquer roupa ou apetrechos que um personagem usa nas novelas, vira moda, como se fossem um bando de marionetes, sendo conduzidas e dominadas pelas cordas da Emissora.
As novelas ensinam tudo que não presta, sempre voltada para a destruição da família, do amor fraternal, e da moral, que deve ser uma coisa bem fundamentada na sociedade. Infelizmente ela é bem aceita por todo mundo. Tudo nela gira em torno disso. A trama sempre gira em torno de um casal de apaixonados, que são os protagonistas. Esse casal é feliz, até que aparece alguém que é a “alma gêmea” dessa pessoa, seja homem ou mulher. De repente, o caso de amor original acaba por que essa pessoa começa a amar esse alguém que chegou. Não interessa se ele é noivo, casado, não interessa a quanto tempo; aparece essa pessoa e acaba o casamento, ou qualquer que seja o tipo de relacionamento que há. É um amor totalmente irracional. A mulher já não consegue pensar em nada que seja racional, o que interessa é viver aquele amor inconseqüente, não importa como fique. Não querem nem saber como isso irá influenciar a sociedade. Não pensam se essa trama pode ser uma apologia à prostituição, ao lesbianismo, à imoralidade. O que interessa é a audiência, os valores morais são desprezados, invertidos. Fico pensando como tanta gente ainda continua bebendo dessa imudície, desprezado até mesmo por pessoas não crentes, que ainda têm um bom senso moral, graças a Deus. São como focos de luz em meio às trevas da imoralidade.
Outro modo de a Globo influenciar a população é fazendo apologia deslavada ao Espiritismo. Ela foi fundada sobre bases demoníaca, que sempre tem permeado a cultura dessa emissora; é a forte base de sua filosofia. O presidente da emissora sempre disse que era ateu, ou agnóstico, mas na prática freqüentava o Baixo Espiritismo.Algo parecido com Jorge Amado, que também dizia não acreditar em Deus, mas se ajoelhava diante de “mãe Menininha do Cantoá”. Quem ler o livro “Tocaia Grande”, verá como ele, minuciosamente descreve um ritual do Candomblé; sem falar dos elogios que dá a esses rituais.Ele pediu, e foi enterrado ao pé de uma entidade desse braço do Espiritismo. Ateu? Julguem vocês. Em outra ocasião fiquei surpreso quando um ator dessa Emissora disse que “jamais iria deixar meus filhos assistirem às programações globais” (sic). Fiquei pensando o que estaria nas entrelinhas desse depoimento dele. Comecei a ler algumas coisas em revistas e constatei que é isso mesmo. Não foi uma pesquisa, mas eu sempre notei que em todas as programações dessa Emissora, ela faz algum tipo de apologia ao Espiritismo; literalmente em todas as suas programações. Sempre quando ela fala do Espiritismo, seja o Kardecista ou o Candomblé ou a Macumba, é de forma elogiosa. Quando, porém, fala dos Evangélicos, é ridicularizando, chamando de fanáticos, de ignorantes, de ridículos, querendo incutir na cabeça do povo que ser evangélico é algo de gente que tem mente retrógrada. Isso acontece sempre, não poupam esforços para fazer esse tipo de coisa. No aniversário do nascimento de Alam Kardec, a Emissora passou um filme chamado “Os Outros”, protagonizado por Nicole Kidman, uma conhecidíssima atriz de Holliwood, que sempre protagoniza filmes de natureza, tanto esotérica quanto puramente Espírita. Ela foi a única emissora que passou o filme e comemorou essa data, de modo quase sutil. Creio que pouca gente percebeu isso. Seria bom se as pessoas tivessem um senso crítico sobre essas coisas. Mas infelizmente a população brasileira, em sua maioria, não têm nem procuram ter cultura, são muito influenciáveis.
Outra coisa que me intriga é o modo como certa funcionária global é tratada, embora não faça tanto sucesso quanto fazia há alguns anos. A emissora não larga ela nem a pau, é o xodó da Globo. Os programas que ela protagoniza são ridículos, sempre fazendo apologia ao desrespeito aos mais velhos e à prostituição de modo geral. É triste. Graças a Deus que ela está chegando ao fundo do poço; seus programas estão sendo desprezados pela população, felizmente. Todos dizem que a mesma tem feito coisas macabras, lúgubres, relacionadas com tudo que é esoterismo. Anos atrás um boneco dessa apresentadora assassinou uma criança enquanto ele dormia; depois verificou-se que dentro do boneco havia um punhal invertido e uma cruz de cabeça para baixo, símbolos da Magia Negra. Isso me causa revolta, repulsa mesmo.
Penso no que os atores fazem para permanecer fazendo sucesso na Globo. Que preço eles pagam para isso. Não pensamos o que está por trás desse sucesso nem o que fizeram para estarem ali, como verdadeiras “estrelas”. São imitados e até idolatrados por muitas adolescentes e até adultos. São como semideuses para essa gente. Não precisa falar nada da vida imoral que levam, todos sabem que a moral para eles é uma coisa relativa, depende do ponto de vista de cada um. Dificilmente algum deles tem uma vida social estável, nem tampouco afetiva. Sempre fracassam nessa empreitada. São uns infelizes nos bastidores, uns coitados. Houve um caso recente, quando uma atriz dessa empresa rompeu o romance com um certo cantor conhecido nacionalmente. Viviam jurando amor eterno, mas não era tão eterno assim, foi comprovado. Como disse numa poesia, Vinícius de Moraes, “eterno enquanto durou”. Isso, creio eu, acontece por que o meio em que eles vivem não propicia um relacionamento sadio, pelo menos para a grande maioria deles; e bota grande nisso.
Há uma novela para adolescentes que tem feito um sucesso estrondoso. Nunca, na história da Globo, houve uma novela que ficasse tanto tempo no ar. As tramas dela são sempre voltadas para o sexo livre, o ficar, curtir a vida de todas as formas, no estilo daquele filme americano “Curtindo a Vida Adoidada”, dos anos noventa, se não me engano. Os pais são totalmente liberais, nada que os filhos façam de errado parece aborrecer eles; se um deles leva a namorada ou um namorado para transar nos seus quartos, não é nada demais. Quando uma das meninas engravida, fica tudo bem. Não há esse negócio de bronca por causa disso, de ameaça de serem postas fora de casa (não que eu concorde com isso), tudo fica bem. Não se fala da responsabilidade em criar os filhos, das dificuldades inerentes a isso. A menina namora dois caras de uma vez só vez; isso não é passado para o povo como uma coisa ruim, mas legal, de menina de cabeça feita. Na minha terra isso tem outro nome. Não dá para saber, na trama, quem é a mais “devassa”, se a mãe ou a filha. O pai é um ser amoral; uma piada como chefe de família. Ele aceita tudo que o filho ou a filha faça, mesmo que contrarie a sociedade. Imagine uma crente que fica o tempo todo assistindo essas porcarias. Creio que muitas adolescentes engravidaram por causa disso. Está provado pela Organização Mundial de Saúde, que o número de adolescentes grávidas aumenta a cada dia. Isso se deve a vários fatores, e a tv é um dos mais importantes. Temas como virgindade e amor familiar são retratados como coisas sem importância alguma, chega a ser revoltante a maneira que eles abordam coisas como essas. E o povo de Deus é um dos mais influenciados. Uma grande parte deles, dos evangélicos, não lêm a Bíblia; pesquisar, nem pensar, por isso são tão influenciáveis. Há cristãos que até acreditam em reencarnação (!!). Digo porque já vi e ouvi uma perguntar se realmente existe isso, após assistir um capítulo de uma certa novela, mostrando que tem dúvida. Falta de Bíblia, com certeza.
Outro programa que me causa nojo é o “Sítio do Pica-pau Amarelo”, muito esotérico, por sinal. Falam até de Baixa Magia. Imaginem como fica a mente de uma criança exposta a esse tipo de programa. Fora as mensagens subliminares, que só as crianças conseguem ver e entender. É pesado para elas. Eu li, certa vez, um livro de Monteiro Lobato, do qual foi extraída essa obra. Ele usa termo muito pesados para crianças, achei bastante macabro, fúnebre, o que ele escreveu para elas. As histórias são até originais, mas muitas delas não prestam para esses anjinhos.
A única maneira de vencermos isso é crescermos na Graça do Senhor Jesus, como recomenda o apóstolo Pedro, em sua primeira Epistola. Quando somos assim, não há doutrina errada que nos leve para longe de Cristo. Devemos ler mais a Bíblia e procurar mostrar aos nossos adolescentes, aos nossos irmãos, que essas coisas são fúteis, explicar a eles o quanto essas coisas são erradas. “Examinai tudo, retendo o que é bom”, disse Paulo o apóstolo dos gentios. Estejamos atentos, irmãos. Amém.