quinta-feira, 16 de outubro de 2008

A IMPOTÂNCIA DO OUVIR


Nem todo mundo, infelizmente, tem maturidade ou paciência para ouvir. Infelizmente esse erro tem levado à tristeza e ao desespero muita gente. Ouvir é importantíssimo, e faz muito bem a quem precisa.
Quando alguém passa por uma situação de muito desgaste emocional, só quer saber de alguém para lhe dar palavras de ânimo e de atenção, apoio, ânimo.
Mas, por outro lado, quando ele não encontra isso, a tristeza o consome. Infelizmente nem todo líder consegue entender isso. Muitas vezes a culpa não é nem do líder, mas de quem colocou ele ali, para comandar as pessoas que ele lidera. Ou também pela incompetência desse líder, pela sua insensibilidade em entender o ser humano, suas crises, angústias, etc.
O que magoa muito alguém que está passando por tribulação é esse tipo de insensibilidade para com quem ele lidera. Certo irmão foi tentar desabafar com alguém que aparentemente é maduro, pelo fato de por muitos anos liderar um grupo na igreja, foi tomado de uma grande decepção após falar de todas as agruras que estava passando, esse líder maduro disse que, se fosse ele no lugar do irmão, não ficaria assim. Veja a arrogância desse líder. Ele disse isso de forma jocosa, num tom de soberba, como se estivesse num patamar de superioridade a todos. A decepção com esse líder aparentemente maduro foi muito grande. Na hora o irmão não disse nada, mas viu o quanto ele é imaturo e presunçoso em pensar isso. Na verdade esse líder precisa amadurecer, pois não compreende ou não quer compreender que não se deve querer triunfar de ninguém sob hipótese alguma, aparentando ter respeito e interesse pelos problemas dos outros, e por trás sair contando a todos os seus conhecidos a fraqueza de seu irmão em Cristo. Isso desqualifica qualquer um para liderar. Pessoas assim liderando um grupo, seja esse grupo que qualidade for, são perigosas, pois irá prejudicar muita gente com essa irresponsabilidade e essa incapacidade em liderar. Ele leva ao fracasso tanto a obra quanto os liderados. É perigoso. Devem seguir os conselhos e exemplos de grandes líderes da Bíblia, como Moisés, Josué e Gideão, que em vez de acabar com a vida de quem eles lideravam, os levavam á vitória.
Jamais também deve o líder deixar de ouvir uma ovelha de seu aprisco, mesmo que esse líder esteja mergulhado em atividades na igreja, pois a vida de uma pessoa é mais importante para Deus do que as regras de uma religião ou um culto. Ouvir alguém é sem dúvida uma das maiores demonstrações de amor que alguém pode ter. Faz-me lembrar um outro irmão que foi procurar alguém que era líder na comunidade onde ele congregava, para se aconselhar, e acabou esbarrando numa demonstração gritante de desrespeito e falta de amor tanto a Deus quanto à pessoa dele. A preocupação do tal presbítero era com a hora do culto, com os hinos, as ofertas, menos com a pessoa. Ele agiu como o sacerdote e levita da parábola de Jesus, que, deram mais valor à forma vazia de cultuar do que a um filho de Deus que estava prostrado no chão. Como os fariseus, que davam mais importância à lei vazia do que ao bem-estar do ser humano, eles davam mais valor às horas de culto morto do que a um servo de Deus, que estava precisando de uma mão amiga, de um abraço. Jesus criticava muito isso na religião hipócrita dos fariseus e Saduceus. Agir assim é a maior falta de amor a Deus e ao próximo.
Quando alguém vem pedir um conselho a outra pessoa, principalmente a um líder, mesmo que ele seja “ameninado”, deve ter a atenção desse líder, se é que o líder o é de verdade. Essa pessoa está precisando de uma mão amiga, de carinho, de uma palavra sábia da parte de Deus, da Palavra viva. Um líder preparado faz isso, e não sai por aí espalhando para todo mundo a fraqueza de quem vem pedir socorro a ele; isso também é uma tremenda covardia. É preciso ter na igreja pessoas preparadas para ouvir e aconselhar as pessoas, de acordo com a Bíblia. Isso é extremamente saudável.
Chegará um dia que esses líderes que desprezam seus liderados, passará por algo semelhante ou pior do que a pessoa que ele desprezou passou,ou passa, e não contará com a devida ajuda. “O que o homem semear isso também ceifará”, escreveu com sabedoria o apostolo Paulo. Ninguém pode evitar essa lei. Ela cumpre-se letra por letra.
Que as lideranças, principalmente na igreja, estejam mais atentos a quem lidera, para que o desprezo dele não seja como um veneno que se espalha feito gangrena. Que haja paciência e maturidade por parte de quem lidera, pois isso é agradável a Deus.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

ASSEM-BERÉIA DE DEUS: Um pouco sobre Joel Carlson

ASSEM-BERÉIA DE DEUS: Um pouco sobre Joel Carlson

GROTESCAS AVENTURAS NO OSVALDO CRUZ


Tenho ficado com meu pai esses dias, no HUOC (Hospital Universidade Osvaldo Cruz).Se tem uma coisa que eu não gosto é o tal do hospital.Quase ninguém gosta, nem os doentes. Meu pai foi operado há uns dez anos, no Memorial São José, em Recife, e precisou ficar internado no Osvaldo Cruz, por complicações no coração.Ele havia colocado ponte de Safena, quando foi operado no hospital dito acima.Esse tempo todinho ele não teve nada, mas de um ano para cá, já foi socorrido umas três vezes.É muito chato, isso.
Foi numa Sexta-feira que ele foi socorrido.Era três horas da tarde.Logo depois que eu saí de casa, ele começou a passar mal.Eu já estava no centro da cidade quando ele foi socorrido.Minha cunhada falou que meu irmão o levou para o Osvaldo Cruz.Ficou internado no mesmo dia.Minha irmã ficou o dia e a noite.Não teve nenhuma piora, graças a Deus.
O corredor que ele ficou tem o nome de José Ribamar.Nele há muitos quartos e em cada quarto no mínimo dois pacientes.Há aqueles que tem quase dez pacientes, todos em condições críticas.No final há uma UTI, onde se encontram alguns pacientes em estado quase terminal.Chamou minha atenção um que há dias não chegou nem sequer um parente para visitá-lo.Parece um desprezado.Os médicos não saem de perto dele um só instante.A maioria são estudantes sem nenhuma experiência.Ficam lá, como urubus adejando sobre a carniça.Os acompanhantes têm direito a três refeições diárias.Só comi algumas vezes, pois tenho um pouco de nojo dessas comidas de hospital.As acho nojenta demais.Pode ser exagero meu;pode ser que essas que a gente come nos restaurantes por aí seja pior .Dizia um amigo meu que quando ele trabalhava num restaurante como cozinheiro, fazia muitas comidas nojentas, como escarrar na carne, e os clientes ainda elogiarem por causa do sabor “gostoso” da comida.Certa vez fui ao refeitório do hospital e vi aquele caldeirão de papa, já no fim, pois não deu pra quem quis, a comida.Não fez nenhuma diferença pra mim, pois não comeria de jeito nenhum.Outras coisas, sim, mas papa e sopa, só em casa.Não gosto de comer nem em restaurante nem em hospital;nenhuma comida se compara à que a gente come em casa.Minha irmã também teu o maior nojo;prefere ficar com fome.Na hora marcada, entra uma mulher conduzindo um carrinho cheio de comida do hospital. Papa, sopa, café leite, bolacha e pão.Tudo de uma vez não, claro. Lá pelas oito horas é o lanche:um copo de leite ou chá, um pãozinho e umas quatro bolachas Cream Cracker.A mulher que entrega tem uma cara muita fechada, como diria um dos pacientes,a mim.Não dá nenhuma vontade de começar um diálogo com ela.Ela pergunta se queremos chá ou leite;aí, ela pega uma fatia de melão com as mãos lisas, sem nenhuma luva, e dá às pessoas.Achei este ato dela uma nojeira.Meu pai nunca come este melão, e nem eu.Ás vezes eu me pergunto se não sou luxento demais.Talvez não.Sou pobre, como todos sabem, mas não sou obrigado a comer toda porcaria que me dão.Às vezes quem ia era uma mocinha de seus vinte e poucos anos. Ela tinha uma aparência de adolescente.Quando eu fui ao refeitório jantar certa vez, eu a vi coçar as partes íntimas sem a menor cerimônia;depois foi pegar na comida.O refeitório tem umas seis mesas compridas, com cadeiras de ambos os lados.Na parede há uma TV e alguns quadros impressionistas ou expressionistas, não lembro mais;há também fotos de dois tubarões.Quando cheguei lá ainda estava passando Malhação, na Globo.Havia cerca de doze pessoas comendo.Tinha arroz doce, pão, café, e sopa.Comi arroz doce, pão e café, foi o jeito; havia bolachas, também.Fiquei de alerta, para ver se não achava uma mosca, ou coisa parecida.Só não comi sopa, mas abri uma exceção para o arroz doce.Ou comia, ou a fome me assolava.Como detesto passar muito tempo sem comer, resolvi me submeter à “tortura”.Não doeu nada.A comida não é suja, como as pessoas falam.Não.Orei e Deus santificou.Os doutores não chegam por aqui.É difícil vê-los.Pela manhã ainda aparecem, mas à noite, nem um sequer, a não ser que haja alguma emergência.Apenas na UTI;e estudantes ou residentes.O local onde meu pai ficou é conhecido com setor José Ribamar, ou Emergência II. Não pára nunca, há sempre enfermeiros e médicos conversando.Num local onde o silêncio é primordial, eles são os primeiros a quebrá-lo.Já três pacientes ficaram no quarto com meu pai.O terceiro é o pior de todos, não conversa com ninguém, nem sequer o acompanhante.Chatice!E mal-educados, que são!Cada tipo!Eu oro para que meu pai saia logo.Será um alívio para todos nós.
As visitas são às três horas; de quatro horas acaba.Tem um comunicado avisando que na pode entrar com comida, mas o pessoal sempre dá um jeito.Brasileiro é brasileiro.Há um basculante que abre para o pátio, por ele é que o pessoal entra com a comida.Ninguém impede a criatividade do povo.
Tudo que a gente passa em um hospital é um pouco traumatizante.O melhor é fazer de tudo para não vir para cá.Peçamos a Deus esta graça.Ele terá misericórdia de nós.

LUTANDO POR UMA CONSULTA

É uma tristeza depender da saúde oferecida pelo Governo.Um caos permeia todo o serviço oferecido ao povo, que tem que fazer quase o impossível apenas para ter 10 minutos ou menos de consulta em um médico que na maioria das vezes nem olha para o paciente, mas faz um diagnóstico superficial e mecânico.
Eu experimentei uma agonia dessas quando fui ao Osvaldo Cruz marcar uma ficha para o meu pai, que sofre de coração.Porém eu fui marcar para Urologista, que é um dos profissionais mais difíceis de encontrar nos serviços de saúde pública.Marquei com meu irmão às 11h 00 da noite; ele ficou de me pegar no centro da cidade, próximo ao 13 de Maio.Fiquei mais de meia hora esperando ele chegar.Causa até medo ficar ali tão tarde da noite.Pouquíssimas pessoas na parada; os comerciantes já tinham fechado as portas de seus estabelecimentos, pelo menos a maioria.Do outro lado da avenida, atrás de mim, havia ainda uma pequena lanchonete aberta.Acredito que todo dia ela fique assim até tarde da noite, pois a hora em que saí de lá não havia fechado ainda.
Chegou meu irmão e nós fomos para o hospital.Chegamos lá e já havia um monte de gente esperando marcar consulta no outro dia, vejam só.A maioria é formada de idosos, que em vez de ficarem em casa descansando, vão passar a noite em um hospital para pegar uma ficha que nem sabem que vão conseguir.Que lástima. Depois de encostarmos o carro, peguei um colchonete fui para a fila, deitar um pouco, pois estava com muito sono; coloquei o colchão no chão e comecei a tirar um cochilo.Perto de mim havia um senhor de uns cinqüenta anos contando a vida dele; contou uma série de mazelas, entre elas o fato de ter sofrido muito tempo com os testículos inchados, enormes, por conta da hidrocele. E continuou falando das cachaças que tomava, das quedas que levava e outras “aventuras” mais das quais se lembrava.Eu já estava ficando com pena do homem. Ficava na perspectiva infeliz de passar toda a noite dormindo numa fila, num tédio medonho.O que me salvava era um romance que eu havia levado para ler; para onde eu vou tenho que levar um livro comigo (até quando vou ao banheiro), já é um costume meu.
Enquanto eu dormia do lado de cá, meu irmão dormia em cima do carro, na parte traseira, pois ela é um pouco larga. Não estava nem aí para quem achasse estranho, dormiu mesmo, até de manhã.Achei muito engraçado isso; parecia que ele estava na casa dele, tamanha era a tranqüilidade do seu sono.
Durante toda a noite não parava de sair e entrar carros de todos os tipos, até ambulância– mas é claro! É um hospital. Médicos, enfermeiros, doentes terminais, cardíacos, de tudo chegava lá. Havia alguns irmãos na fila, também sofrendo, pedindo a Deus que tivesse misericórdia da gente. Perto da mim uma serva de Deus começou a cantar hinos da Harpa Cristã, parecendo que estava numa clínica, e não sendo humilhada, escrachada, para conseguir uma esmola do governo.Até quando o povo vai sofrer por causa de um sistema corrompido? É essa miséria que alimenta o orgulho dos ricos e sustenta as indústrias farmacêuticas e os planos de saúde e os hospitais particulares. Os ricos só vão a esses hospitais gratuitos quando o gasto será muito grande para eles; mas quando melhoram, eles vão para o particular. “Esse Sistema é um vampiro”, como diz certo poeta.
O dia foi amanhecendo aos poucos, e eu cada vez mais ansioso para marca a consulta e ir embora para casa.Quatro da manhã e já havia quase duas centenas de pessoas na fila; eu estava com uma baita fome, nem estava mais agüentando ler o livro que eu estava lendo.Meu irmão me deu uns trocados e eu fui comer uma coxinha e um copo de café, desse de 50 ml.Comi com um certo nojo, pois não tinha certeza se era “limpa” ou não.Comi.Fiquei com pirangajem de comer outra, pelo fato de ser um real, uma simples coxinha, que é mais massa que qualquer coisa; e ruim que era, além de ser requentada.
O Osvaldo Cruz foi acordado aos poucos, com o sol beliscando seu telhado e gritando o seu grito silencioso. Os funcionários e os estudantes de medicina começaram a chegar para o batente também. Observei que a maiorias são burgueses, como sempre, infelizmente.Dificilmente há um pobre entre eles, é um verdadeiro circulo, bem fechado.Quem estava na fila começou a se organizar para que ninguém tomasse o lugar que toda a noite foi guardado; de vez em quando aparecia um esperto para fazer isso.É dose!! Nem sequer respeitam aos mais velhos que passaram a noite toda nesse suplício.
Achei estranho e ao mesmo tempo engraçado um senhor que não parava de olhar as pernas de uma moça perto dele.Ela estava em pé, e ele sentado, só deslumbrado com tudo aquilo, pois era uma loira bonita.Tinha umas pernas bem feitas, grossas, parecendo uma modelo. Ele chega estava tranqüilo, curtindo tudo aquilo; já pensou que coisa?saí de lá e ele ficou ainda fazendo a mesma coisa.
A ficha foi marcada para quase 15 dias depois; meu pai sofrendo com o seu problema, teve que esperar todo esse tempo, e ainda está esperando, pois colocou uma sonda, após a consulta com o Urologista; pelo menos conseguiu alguma coisa.Espero que tudo dê certo para ele, se o Senhor Deus quiser.

UMA DIRIGENTE ELOQUENTE

Fiquei surpreendido, numa dessas quartas-feiras que eu fui ao Círculo de Oração de Chagas Ferreira.É um templo de porte médio, situado perto do Mercado de Nova Descoberta.A dirigente é a irmã Iraci, uma senhora de uns cinqüenta anos, mais ou menos, bem dinâmica.Muito simpática também.
Depois de levantarmos da oração e cantarmos os hinos de praxe, ela chamou um auxiliar para ler a palavra, pois o escalado não veio, por razões que ninguém ficou sabendo.Ele apenas leu, sem comentários, pois segundo ele, “iria levar seu filho à escola”.Prontamente a irmã Iraci começou a fazer o comentário, em Isaías 38, onde fala sobre a doença e a cura de Ezequias.Ela começou a comentar e o fez de um modo que me impressionou muito.Comentou muito bem, sem sair do assunto, e buscando textos e assuntos correlatos da Bíblia e da experiência dela.Gostei bastante sobre de fato que aconteceu com ela quando a mesma dirigia a Oração no Morro da Conceição.Ela tinha ido para a reunião das dirigentes, no Templo Central.O preletor foi o pastor Aílton. Ele criticou muito as dirigentes que não liam a Bíblia, chamando-as de dirigentes “chuchu”, pelo fato de ser aguado e quase ninguém gostar dele.Ela saiu de lá “morta” de vergonha, por que segundo ela, “aquelas palavras foram como uma flecha, bateu forte nela”.No mesmo dia ela começou a ler a Palavra de Deus, pois antes não o fazia nunca; sempre mandava sua vice falar quando era dirigente no Morro.Valeu à pena.
Ela fala com muita eloqüência; se expressou muito bem.Depois ela fez referência a Davi, quando foi chamado para ser rei de Israel.Dissertou sobre humildade, sobre ficar no seu lugar até que Deus lhe dê vitória.Após isso ela foi para a história de Mefibosete, o neto de Saul, e filho de Jônatas.Depois ela contou algumas experiências que teve quando era zeladora da igreja numa área de Casa amarela.Numa dessas, um irmão que não gostava deles, levou um presbítero para a sua casa, a fim de ver a “bagunça” que estava por lá.Na verdade, o marido dela estava aconselhando alguns jovens, falando-lhes da Bíblia. Pura maldade daquele irmão.
A palavra transcorreu muito boa, a gente sentindo a presença de Deus.Uma bênção.Saí de lá muito confortado, graças a Deus. A irmã Iraci tem realmente o dom da palavra, pela maneira desimpedida como ela fala.Um líder ou uma líder tem, realmente, que saber se expressar bem, fazer-se bem entendido pelos liderados, e essa serva de Deus sabe fazer isso muito bem.
Queria eu na próxima vez que for lá, eu poder escuta-la de novo; não é sempre que a gente encontra uma dirigente tão eloqüente assim.Ela poderia. Que Deus continue abençoando ela e continue lhe dando inspiração para falar com esse seu modo tão bonito.Amém.

CANAL DA PERDIÇÃO

Desde que foi inaugurada, em 1966, a Globo tem influenciado a cultura brasileira em todos os sentidos possíveis. Começou como uma simples tv, sem muita influência. Recebendo dinheiro de empresas americanas, ela começou a crescer, propagando cada vez mais a Cultura Yank. Depois da novela “Dance Days”, ela deslanchou. Foi um sucesso tremendo, influenciando os brasileiros de forma descomunal. A partir daí a Globo viu que poderia, e muito, fazer a cabeça de quem quisesse, lançar a idéia que quisesse, pois possuía essa força.
Tendo com carro chefe as novelas – quatro por dia- essa tv tem até influenciado na ascensão de presidentes da República, como Collor, o qual a Globo ajudou a ascender, e ela mesma fez com que ele descesse bem fundo ao poço do fracasso quando não era mais do seu interesse defendêlo. É um absurdo como todo um povo se deixa levar pelos modismos de uma emissora de televisão, com acontece aqui no Brasil. Qualquer roupa ou apetrechos que um personagem usa nas novelas, vira moda, como se fossem um bando de marionetes, sendo conduzidas e dominadas pelas cordas da Emissora.
As novelas ensinam tudo que não presta, sempre voltada para a destruição da família, do amor fraternal, e da moral, que deve ser uma coisa bem fundamentada na sociedade. Infelizmente ela é bem aceita por todo mundo. Tudo nela gira em torno disso. A trama sempre gira em torno de um casal de apaixonados, que são os protagonistas. Esse casal é feliz, até que aparece alguém que é a “alma gêmea” dessa pessoa, seja homem ou mulher. De repente, o caso de amor original acaba por que essa pessoa começa a amar esse alguém que chegou. Não interessa se ele é noivo, casado, não interessa a quanto tempo; aparece essa pessoa e acaba o casamento, ou qualquer que seja o tipo de relacionamento que há. É um amor totalmente irracional. A mulher já não consegue pensar em nada que seja racional, o que interessa é viver aquele amor inconseqüente, não importa como fique. Não querem nem saber como isso irá influenciar a sociedade. Não pensam se essa trama pode ser uma apologia à prostituição, ao lesbianismo, à imoralidade. O que interessa é a audiência, os valores morais são desprezados, invertidos. Fico pensando como tanta gente ainda continua bebendo dessa imudície, desprezado até mesmo por pessoas não crentes, que ainda têm um bom senso moral, graças a Deus. São como focos de luz em meio às trevas da imoralidade.
Outro modo de a Globo influenciar a população é fazendo apologia deslavada ao Espiritismo. Ela foi fundada sobre bases demoníaca, que sempre tem permeado a cultura dessa emissora; é a forte base de sua filosofia. O presidente da emissora sempre disse que era ateu, ou agnóstico, mas na prática freqüentava o Baixo Espiritismo.Algo parecido com Jorge Amado, que também dizia não acreditar em Deus, mas se ajoelhava diante de “mãe Menininha do Cantoá”. Quem ler o livro “Tocaia Grande”, verá como ele, minuciosamente descreve um ritual do Candomblé; sem falar dos elogios que dá a esses rituais.Ele pediu, e foi enterrado ao pé de uma entidade desse braço do Espiritismo. Ateu? Julguem vocês. Em outra ocasião fiquei surpreso quando um ator dessa Emissora disse que “jamais iria deixar meus filhos assistirem às programações globais” (sic). Fiquei pensando o que estaria nas entrelinhas desse depoimento dele. Comecei a ler algumas coisas em revistas e constatei que é isso mesmo. Não foi uma pesquisa, mas eu sempre notei que em todas as programações dessa Emissora, ela faz algum tipo de apologia ao Espiritismo; literalmente em todas as suas programações. Sempre quando ela fala do Espiritismo, seja o Kardecista ou o Candomblé ou a Macumba, é de forma elogiosa. Quando, porém, fala dos Evangélicos, é ridicularizando, chamando de fanáticos, de ignorantes, de ridículos, querendo incutir na cabeça do povo que ser evangélico é algo de gente que tem mente retrógrada. Isso acontece sempre, não poupam esforços para fazer esse tipo de coisa. No aniversário do nascimento de Alam Kardec, a Emissora passou um filme chamado “Os Outros”, protagonizado por Nicole Kidman, uma conhecidíssima atriz de Holliwood, que sempre protagoniza filmes de natureza, tanto esotérica quanto puramente Espírita. Ela foi a única emissora que passou o filme e comemorou essa data, de modo quase sutil. Creio que pouca gente percebeu isso. Seria bom se as pessoas tivessem um senso crítico sobre essas coisas. Mas infelizmente a população brasileira, em sua maioria, não têm nem procuram ter cultura, são muito influenciáveis.
Outra coisa que me intriga é o modo como certa funcionária global é tratada, embora não faça tanto sucesso quanto fazia há alguns anos. A emissora não larga ela nem a pau, é o xodó da Globo. Os programas que ela protagoniza são ridículos, sempre fazendo apologia ao desrespeito aos mais velhos e à prostituição de modo geral. É triste. Graças a Deus que ela está chegando ao fundo do poço; seus programas estão sendo desprezados pela população, felizmente. Todos dizem que a mesma tem feito coisas macabras, lúgubres, relacionadas com tudo que é esoterismo. Anos atrás um boneco dessa apresentadora assassinou uma criança enquanto ele dormia; depois verificou-se que dentro do boneco havia um punhal invertido e uma cruz de cabeça para baixo, símbolos da Magia Negra. Isso me causa revolta, repulsa mesmo.
Penso no que os atores fazem para permanecer fazendo sucesso na Globo. Que preço eles pagam para isso. Não pensamos o que está por trás desse sucesso nem o que fizeram para estarem ali, como verdadeiras “estrelas”. São imitados e até idolatrados por muitas adolescentes e até adultos. São como semideuses para essa gente. Não precisa falar nada da vida imoral que levam, todos sabem que a moral para eles é uma coisa relativa, depende do ponto de vista de cada um. Dificilmente algum deles tem uma vida social estável, nem tampouco afetiva. Sempre fracassam nessa empreitada. São uns infelizes nos bastidores, uns coitados. Houve um caso recente, quando uma atriz dessa empresa rompeu o romance com um certo cantor conhecido nacionalmente. Viviam jurando amor eterno, mas não era tão eterno assim, foi comprovado. Como disse numa poesia, Vinícius de Moraes, “eterno enquanto durou”. Isso, creio eu, acontece por que o meio em que eles vivem não propicia um relacionamento sadio, pelo menos para a grande maioria deles; e bota grande nisso.
Há uma novela para adolescentes que tem feito um sucesso estrondoso. Nunca, na história da Globo, houve uma novela que ficasse tanto tempo no ar. As tramas dela são sempre voltadas para o sexo livre, o ficar, curtir a vida de todas as formas, no estilo daquele filme americano “Curtindo a Vida Adoidada”, dos anos noventa, se não me engano. Os pais são totalmente liberais, nada que os filhos façam de errado parece aborrecer eles; se um deles leva a namorada ou um namorado para transar nos seus quartos, não é nada demais. Quando uma das meninas engravida, fica tudo bem. Não há esse negócio de bronca por causa disso, de ameaça de serem postas fora de casa (não que eu concorde com isso), tudo fica bem. Não se fala da responsabilidade em criar os filhos, das dificuldades inerentes a isso. A menina namora dois caras de uma vez só vez; isso não é passado para o povo como uma coisa ruim, mas legal, de menina de cabeça feita. Na minha terra isso tem outro nome. Não dá para saber, na trama, quem é a mais “devassa”, se a mãe ou a filha. O pai é um ser amoral; uma piada como chefe de família. Ele aceita tudo que o filho ou a filha faça, mesmo que contrarie a sociedade. Imagine uma crente que fica o tempo todo assistindo essas porcarias. Creio que muitas adolescentes engravidaram por causa disso. Está provado pela Organização Mundial de Saúde, que o número de adolescentes grávidas aumenta a cada dia. Isso se deve a vários fatores, e a tv é um dos mais importantes. Temas como virgindade e amor familiar são retratados como coisas sem importância alguma, chega a ser revoltante a maneira que eles abordam coisas como essas. E o povo de Deus é um dos mais influenciados. Uma grande parte deles, dos evangélicos, não lêm a Bíblia; pesquisar, nem pensar, por isso são tão influenciáveis. Há cristãos que até acreditam em reencarnação (!!). Digo porque já vi e ouvi uma perguntar se realmente existe isso, após assistir um capítulo de uma certa novela, mostrando que tem dúvida. Falta de Bíblia, com certeza.
Outro programa que me causa nojo é o “Sítio do Pica-pau Amarelo”, muito esotérico, por sinal. Falam até de Baixa Magia. Imaginem como fica a mente de uma criança exposta a esse tipo de programa. Fora as mensagens subliminares, que só as crianças conseguem ver e entender. É pesado para elas. Eu li, certa vez, um livro de Monteiro Lobato, do qual foi extraída essa obra. Ele usa termo muito pesados para crianças, achei bastante macabro, fúnebre, o que ele escreveu para elas. As histórias são até originais, mas muitas delas não prestam para esses anjinhos.
A única maneira de vencermos isso é crescermos na Graça do Senhor Jesus, como recomenda o apóstolo Pedro, em sua primeira Epistola. Quando somos assim, não há doutrina errada que nos leve para longe de Cristo. Devemos ler mais a Bíblia e procurar mostrar aos nossos adolescentes, aos nossos irmãos, que essas coisas são fúteis, explicar a eles o quanto essas coisas são erradas. “Examinai tudo, retendo o que é bom”, disse Paulo o apóstolo dos gentios. Estejamos atentos, irmãos. Amém.

ESSES PROGRAMAS POLICIAIS



Fico assistindo esses programas policiais e pergunto se eles são úteis mesmo. Passa muitas coisas interessantes, mas às vezes chega a ser vulgar demais. Chego a ter a impressão que só quem sofre, morre, é ridicularizado, sãos os pobres; o número, em sua grande maioria, são de pobres. Os repórteres até chegam a se aproveitar da ingenuidade de alguns. Ás vezes quando um ladrão é preso, os repórteres chagam a armar uma arapuca verbal para eles, que chegam, às vezes, a confessar os crimes de que são acusados.
O do canal 4 é feito pelo antigo repórter do Programa quer era feito por Jota Ferreira, Sérgio Dionísio. O estranho é a pessoa assistir na hora em que está almoçando. Que mistura nefasta. Há um quadro denominado “A Turma do Baracubaco”, um quadro engraçado, que chega mesmo a ser muito hilário. Geralmente é sobre reclamação sobre algum descaso da prefeitura ou o governo sobre um serviço prestado à população, sempre levando para o lado engraçado, “tirando onda com tudo”. No dia treze de Dezembro, eles passaram uma reportagem sobre uma mulher solteira, muito querida pelas crianças da localidade, denominada de “Princesa”. A mulher aparentava ter uns 43 anos, mais ou menos. O repórter foi lá e ficou conversando com ela. Perguntou sobre o que ela queria, o tipo de homem que ela sentia atração, etc. a mulher era muita engraçada, com jeito de humorista. Se alguém a contratasse, não faria feio. Foram até à casa dela e fizeram uma filmagem dentro. A as calcinhas da mulher eles mostraram; pior de tudo foi uma foto que mostrava ela só de calcinha e sutiã, deitada em cima do sofá. Isso às 12:40 da tarde! Brincadeira.
Por outro lado, eles divulgam o que está acontecendo na sociedade, o que a polícia está fazendo, se bom ou ruim, etc. só não gosto quando eles ficam fazendo apologia a essas misérias, como que gostando de mostrar todas as desgraças do mundo. Como será que esses apresentadores lidam no dia a dia? Eu sei que essas pessoas que trabalham na televisão (principalmente fazendo esses tipos de programas) fazem terapia, conversam com psicólogos e psiquiatras para que eles não tenham um “treco”. Acho que eu não agüentaria fazer esse tipo de coisa; na terceira ou segunda semana trabalhando assim, eu deixaria esse emprego. É triste você ficar lidando o tempo todo com essas coisas nefastas, grotescas, que só trazem tristezas e agonia para a gente. Há casos que você pergunta se a pessoa que fez tal maldade é ser humano mesmo, de tão ruim que são.
Sérgio Dionísio até que leva jeito para essas coisas; pensei que ele seria um fiasco com apresentador, mas não, apresenta com certo cinismo, lembrando o apresentador do canal 2. Será que iria fazer falta se esses programas se acabassem? Talvez sim. De alguma forma eles fiscalizam o serviço público, além de divertir alguns. É isso aí.

OS AGENTES DE SATANÁS NA IGREJA

Durante a guerra fria existia dois pólos políticos: os socialistas, encabeçados pela Rússia, antiga URSS – União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, e os Capitalistas, capitaneado pelos EUA – Estados Unidos da América, que procuravam a todo o tempo trazer para si as nações que ainda não haviam se decidido em qual pólo ficar. Era uma coisa terrível. Quantas conspirações, quantas mortes não houve por causa disso; quantos bilhões de dólares investidos...quem vivia de fato essa guerra era os agentes de ambos os lados. Existia até os agentes duplos. Mas isso é outra história.
Tenho visto que na Igreja de Cristo tem acontecido quase a mesma coisa.Existe crentes que agem como agentes de Satanás, fazendo a vontade dele dentro do corpo de Cristo, infelizmente. “Pelos seus frutos os conhecereis”, dizia o Mestre aos seus discípulos. Pura verdade. Se observarmos direito, veremos quem são e o que fazem essas pessoas. Jesus também os comparou com joio, que é parecidíssimo com o trigo, somente um especialista distingue os dois. Quando você vir alguém assim na igreja, certamente é uma dessas pessoas. Quem tem o Espírito de Deus jamais age assim; eles são muito diferentes, o fruto do Consolador aparece N’ele, com certeza. Essas outras  pessoas vivem fazendo intrigas, fofocando, não podendo ver alguém feliz de jeito nenhum. Estão fazendo o trabalho sujo do diabo. Pode ser até um líder, principalmente, aliás.
A melhor forma do Inimigo minar as forças de uma igreja, é usando os seus líderes, pois os seus líderes levam a igreja junto com ele.Quanto maior a maturidade do líder, mais o Diabo o quer, tenta, procura tê-lo em suas mãos de todo jeito. De uma vez só ele pode arrebanhar todo um povo. Por isso nós temos que estar atentos ao que ensina a Palavra de Deus, e não ao líder em si. Quando ele é um fiel servo de Deus, devemos obedece-lo; mas se ele se desviar, devemos considera-lo maldito (Gl 1.7,8). O que ele ensina deve ser sempre comparado com a Palavra de Deus, como faziam os irmão de Beréia. Há quem não concorde com isso. Há pessoas que creem que devemos aceitar tudo o que o pastor disser, mesmo quando ensina heresias. Não é por aí. E se ele tiver se corrompido e ter se transformado num agente de Satanás na igreja? É isso que o maior teólogo de todos os tempos ensina, em sua segunda carta aos Coríntios, no capítulo 11. Ele fala de uma maneira linda, profunda. Havia um grupo chamado de os judaizantes, se enquadravam nessa funesta categoria que falo aqui. Paulo os chamava de falsos apóstolos. Dizia ele que assim como o inimigo se transforma em anjo de luz, ele pode fazer com que os seus instrumentos se “transformem” em ministros de justiça. É muito fácil para ele. Uma das passagens mais lindas do Novo Testamento, é quando Paulo, depois de sua última viagem pelas igrejas que fundou, manda chamar os pastores de Éfeso para lhes ver pela última vez (Atos 20). O apóstolo então lhes diz “que tinha ensinado a eles todo o Conselho de Deus”; tudo quanto o Espírito Santo havia ensinado a ele, Paulo, havia sido repassado para aquela igreja. Prosseguindo, ele diz “que do meio deles mesmos iriam surgir lobos cruéis, que não perdoariam ao rebanho”. Os irmãos começam a chorar, muito emocionados, por que sabiam o quanto terrível seria isso. Os Agentes de Satanás também perturbaram os cristãos de Gálatas. Os mesmos desgraçados judaizantes tentaram acabar com a igreja da Região da Galácia. Depois de ficar sabendo minuciosamente de tudo isso, o apóstolo diz que “eles haviam caído da graça, que era incompatível com o espírito do Cristianismo o que eles estavam querendo fazer com a igreja”. Falou que “aqueles que queriam fazer com que eles se circuncidassem, cortassem logo o seu membro fora, já que davam tanto valor a isso”. Outra coisa que Paulo falou e me emocionou muito foi no capítulo 6: “Desde agora ninguém me inquiete, porque eu trago no meu corpo as marcas (no grego, stigmata) do Senhor Jesus”. Que convicção! Outro que falou contra os agentes de Satanás foi João, o apóstolo do amor. Ele aconselhou contra os gnósticos, que viviam espalhando na igreja que Jesus Cristo não veio em carne, mas que na hora da morte, o “Cristo” saiu do Jesus e subiu ao céu, deixando-o sofrer na cruz. João fala que “esses não são de Deus”; não importavam para João quem eram, o que faziam, nem se eram importantes ou não, eram do Diabo, agentes de Satanás. Por isso, é preciso estar atento à palavra de Deus, ao que ela diz, ensina, exorta.
Conheço uma figura assim, que faz na igreja o trabalho do Inimigo. Desde que eu era garoto que essa pessoa fica fazendo intrigas na igreja, onde quer que ela chegue é assim. Quando vê alguém cuidando de um coral, ela faz de tudo para aquela pessoa sair, procura os defeitos mais simples para difamar essa pessoa; enquanto ela não vir o irmão ou a irmã perder o cargo, não sossega. Fica procurando órgãos para desequilibra-los, de qualquer natureza que seja o órgão, de algum modo. Primeiro ela se aproxima das pessoas, se torna amiga delas, e diz que vai orar por elas. Estuda o modo de ser, o que pensam, e depois, por trás, começa a desacreditar as pessoas, para que, quando elas caírem, todos concordem com isso. Depois de falar bem muito, difamar mesmo, ela ainda tem coragem de falar com as pessoas que difamou, como se nunca tivesse feito mal nenhum; são extremamente dissimuladas, fingidas, como todos os agentes de Satanás. São aparentemente normais, prósperas, mas não têm um bom relacionamento com os filhos; não têm um bom relacionamento conjugal, e suas vidas não prosperam nem material nem espiritualmente. Os filhos se desviam logo, não conseguem ter raízes em Deus, pois não receberam o devido ensinamento de seus pais, que também não as possuem. Esse é o perfil dos agentes de Satanás na Igreja de Cristo. Na minha opinião essa pessoa é uma praga nessa congregação. Os frutos dela não são de quem serve a Deus. Citando ainda João, ele diz “que quem vive odiando a seu irmão é do diabo". Não existe meio termo; se faz isso, pertence ao reino das trevas. Nunca mudou, nunca cresceu na graça e conhecimento de Cristo Jesus. Um joio podre, fedorento, imprestável. A vida dela é ficar inventando mentiras, tramas das mais variadas. O pior de tudo é que ela tem um cargo nessa congregação, infelizmente. Só interessa a ela um órgão onde tudo está correndo bem, certinho. Quando um órgão está assim, chama a atenção dela. Oro a Deus para que esse instrumento do Inimigo seja vomitado da boca do Senhor Jesus, se não houver arrependimento, conforme diz Jesus em Apocalipse. Creio que essa pessoa chegou num nível que não tem mais jeito; não que Deus não possa converte-la, mas é que seu coração está por demais endurecido, não permitindo que o Espírito Santo trabalhe nela. Há um momento que Deus descarta de uma vez por todas (Rm 1).
Na próxima vez que alguém for pregar em sua igreja, preste atenção no que esse alguém está falando, se está coadunado com a Bíblia. Se não estiver, descarte, não importa quem seja. Já vi muitas heresias serem proferidas de cima de um púlpito. Às vezes era uma pessoa conhecida no ministério, “idônea”, mas que estava ali, cometendo uma torpeza. Pode ser que ela não estivesse falando de vontade própria, mas é bom ficar sempre atento. Só Deus sabe o que ele é de verdade. Desde a igreja primitiva que há esses tipos de gente espalhada entre nós. Quem leu o livro “História Eclesiástica”, de Eusébio de Cesareia, verá a luta que a igreja tem enfrentado, das heresias espalhadas por pessoas que se desviaram do Caminho Santo. Coisas terríveis o diabo espalhou, disseminando tudo que não presta. E sempre o antídoto foi a palavra de Deus. Só ela é suficiente para combater esse mal.
Tenho para mim que quando o Anticristo vir, esses crentes falsos irão saudá-lo como quem saúda um ente querido há muito tempo longe. Esse momento será o momento da certeza. Quem for de Cristo subirá, mas quem estiver a serviço de Satanás, ficará aqui. Diz um salmo que “os ímpios não permanecerão na congregação dos justos”. Que bela verdade! É isso que me consola. Um dia isso irá acabar, Cristo os condenará ao inferno (Ap 20). “E ele os venceu pela palavra de Sua boca”, diz ainda o livro Santo. Justo é o Senhor em todos os Seus caminhos.
O que temos de fazer, irmãos, é ficar atentos a esses tipos de cristãos, falsos cristãos, que denigrem o bom Nome do nosso Mestre. Fiquemos como Ezequiel, de atalaia, olhando cada detalhe, cada coisa que disserem ou fizerem contra o Santo Evangelho de nosso Senhor Jesus. No capítulo 16 de Romanos, Paulo aconselha a igreja a ver, notar quem vive fora da vontade de Deus, cuja vida não se coaduna com o que ensinou o Cristo, ou os santos apóstolos. Note que esse viver não é fazendo nem cumprindo certos costumes como se fossem as bases dos ensinamentos da igreja, mas baseados na palavra de Deus. Sim, pois os apóstolos pregavam falando o Velho Testamento, cujo tema já era Cristo. Sempre foi. Portanto, eles pregavam Cristo. Estejamos firmes e ligados Nele. Amém.

PASTOREANDO COM ELOQUÊNCIA

um dos melhores pastores que se conhece na Região Metropolitana de Recife, atualmente, é o pastor Alexandre Ximenes, pastor Igreja Episcopal Carismática, braço da Igreja Episcopal, fundada por Henrique VIII, rei da Inglaterra, no século citado, por causa de uma divergência com a Igreja Católica.
No Domingo à noite é possível escuta-lo, depois das sete horas, na Rádio Melodia. Antes ele pregava na 100.7, Evangélica FM, passando para essa Rádio. Dono de uma voz muito chamativa e eloquente, ele fala com uma segurança fenomenal, com uma denotação de verdade e sinceridade na voz. Não faria feio se fosse locutor, seria de muito sucesso. Mas Deus o quis escolher, com sabedoria, para pastorear ovelhas. Graças a ele por isso. Desde o tempo dos grandes pregadores dos anos 80, com “Napoleão Falcão”, “Gesiel Gomes”, e “Hidekazu Takaiama”, nunca mais havia se levantado alguém tão eloqüente assim, a não ser “Josué Gonçalves”, que infelizmente foi banido da Assembléia de Recife, por motivos fúteis, questão de ponto de vista. Mas nos detenhamos em Alexandre Ximenes.
Nunca mais me esqueço quando num Domingo de carnaval, escutei uma palavra belíssima e ao mesmo tempo profunda, baseada em Colossenses; naquele dia o pastor estava inspiradíssimo, falou com uma eloqüência tremenda. A palavra, eu senti, veio para mim como uma flecha de fogo. Deus falou comigo tremendamente, parecia que o pregador estava de frente comigo, que conhecia tudo o que eu estava pensando e passando naquele momento tão difícil para mim. Glória a Deus pelo Dom dado a esse grande servo d’Ele! Ali eu fui muito consolado, me renovei bastante. As palavras saíram desse homem numa enxurrada de verbos tremendos. E ao falar, ele não se prende apenas a fatos superficiais, mas se aprofunda e usa exemplos de nosso tempo, relacionando-os com o tempo de hoje, numa coordenação de fazer inveja a qualquer pregador pentecostal, dos mais conhecidos. É dono de uma vasta cultura, falando desde filosofia até fatos do cotidiano, passando por quase todas as ciências conhecidas, mostrando que entende o que fala.
Domingo, 10 de novembro agora, ele falou sobre “A depressão de Elias”, uma palavra rica, eloqüente, retoricamente perfeita, ele dissertou bem o que esse servo de Deus passou, colocando em relevo a psicologia relativa a Elias. Uma das palavras mais bonitas que eu achei foi quando ele disse que “o que esse profeta estava precisando, não era ouvir furacão, terremotos ou tempestades fortes, pois ele estava deprimido, sem amigos (pensava ele); ele precisa ouvir era a voz sussurrante de Deus, aquela voz suave, que perguntava amorosamente: “Que fazes aqui, Elias? Se Deus viesse falando portentosamente, iria botar o profeta mais para baixo ainda. Ele estava cansado, precisando de alento, carinho, alguém que o compreendesse. Deus fez coisas interessantes com ele. Mandou que ele descansasse, deu comida a ele, e ocupou a mente dele com algumas tarefas. A mente fazia é oficina do Diabo, como dizia minha vó. Deus então disse que ainda restava 7 mil,que não adorou Baal.”
Desse modo o pastor foi costurando uma palavra com conteúdo, com lições práticas, de fazer inveja a Freud, pai da psicanálise. Citou antes a depressão de Jonas, Moisés, Davi, que passaram por esse problema. Não chegou em nenhum momento espiritualizar essa doença, esse mal, como eu já vi um certo presbítero, que dirigiu a Escola Dominical do Botijão, falar. Dizia ele que depressão é uma coisa maligna, dando a entender que quem estava com esse problema, estava quase que possesso. Um absurdo teológico, pois a Bíblia diz que até Cristo ficou deprimido, quando disse que a alma dele “estava angustiada até a ponto de morrer”. Eu contestei, mas ele quis que eu aceitasse só porque ele era o presbítero. Que hilário! Existe a depressão causada por traços genéticos, circunstanciais (o caso de Elias) e a diabólica mesmo. Só que há irmãos que querem espiritualizar demais.
O pastor Ximenes não ficou devendo nada a nenhum terapeuta de plantão. Falou dentro da Hermenêutica bíblica. Por ser da Episcopal, que muitos dizem que é apenas um braço da Católica, não quer dizer que ele não serve a Deus, nem que ele pregue heresias. Ele fala dentro da Palavra, sem se desviar “nem para a direita, nem para a esquerda”, como diz o eloqüente Isaías, poeta e profeta. Fiquei só comendo prazerosamente aquela palavra consubstanciosa, vindo do Trono da Graça. Não pude ir ao culto em minha igreja, mas creio que não fez nenhuma diferença, pois o Senhor (YAHWÊ), estava comigo ali, como está até agora. Agradeci a ele pela palavra maravilhosa.
Não estou escrevendo essas coisas para exaltar o pastor Ximenes, mas para dizer que o que ele diz é a palavra de Deus, salvo se falar fora dela, como pode acontecer; mas enquanto não ocorrer isso, ficarei escutando e me deliciando com essas palavras que Deus dá a ele. “O Espírito sopra a onde quer e ouve-se a sua voz”, já dizia Jesus, acabando com a teoria que pregavam que Deus só agia em Israel. Ele quis dizer com isso que Deus não pertencia a Israel, mas sim o contrário. Hoje há igrejas que acham que é “dona” de Deus, como se pudesse obriga-Lo a só agir nela. A verdade é que “onde estiver dois ou três reunidos” em Seu Nome, Cristo estará com eles, como tem estado na Igreja de Alexandre Ximenes. Amém.

EXAGERO



cheguei ao templo e vi a igreja alegre, bem arrumada, cheia de gente. As luzes acesas davam um tom de alegria. Fora isso, já sentíamos a presença do Espírito Santo nos envolvendo. É maravilhoso estar na presença de Deus, sentir aquele clima espiritual.
A primeira coisa que notei foi a zoada absurda do conjunto; pensei se eles não ficaram surdos de tanta zoada. Compreendi então os processos e denúncias sofrendo pela igreja há alguns meses. Na minha opinião não precisa disso não. Para quê? Num templo onde há uma boa reverberação da música, não precisa um conjunto tocar tão alto. Os músicos tocam com se estivessem tocando em cima de um trio elétrico ou então no Recifolia ou outra coisa do gênero. Que absurdo. A pessoa não pode nem se concentrar. Eu fico logo com dor de cabeça. Parece que eu estou dentro de um motor de caminhão. Isso é apenas uma das coisas que acontecem nas igrejas atualmente, principalmente as da ASSEMBLÉIA DE DEUS. O engraçado é que guitarra era proibida nos nossos templos, e hoje em dia, qualquer pode ver que está liberado; não que eu concordasse com essa proibição. Nada a ver. O fato de cuscuz ser oferecido ao diabo não quer dizer que eu não tenha que comer isso. O que estou falando é que não deveria ser tão alto, fazer tanta zoada. Pelo que me lembre, a única vez que vi um conjunto tocar numa altura razoável foi lá em Carpina. Tocavam bem sem precisar fazer aquele barulho ensurdecedor. Gostei muito deles.
Uma outra coisa que é comum hoje em dia é o fato de haver tantos órgãos. Não aqui que pensem que sou contra isso. De maneira nenhuma. Lá em Corintios Paulo nos diz que o culto é com ordem e decência. É como deve ser os cultos em nossas igrejas. Geralmente se dá oportunidade a esses órgãos e não sobra tempo para a palavra de Deus, que é o principal em um culto. Isso só é bom para dois tipos de pessoas na igreja. Os pregadores que não sabem nada da Bíblia e os que vivem em dissolução. Esses “adoram” quando há esse erro na Casa de Deus. Não procuram crescer em nada. Pregam e aceitam heresias.
Dão oportunidades aos órgãos até se exaurir o tempo para pregação. Acho que deveria haver rodízios desses órgãos. Nessa congregação mesmo da qual eu falo, há oito. Deveria cantar no máximo três por Domingo ou pelas festas. Além dos órgãos há a programação feita pelas pessoas que organizam-na. Assim, vai-se o tempo para a pregação. O culto fica incompleto pela falta de organização e incompetência de alguns dirigentes. Nós devemos falar, se não está certo; não somos obrigados a ficarmos calados, não. Se está errado, reclamemos, pois. Temos esse direito. Deixemos que os alienado achem que é errado; eles não sabem o
que é isso.

LUIZ GONZAGA

26 de dezembRO


No dia treze de Dezembro (quarta-feira), foi o aniversário de Luiz Gonzaga, o rei do Baião. Se estivesse vivo faria 94 anos. Considerado o Pelé da música pelo Ministro Gilberto Gil , ele tem sido uma grande estrela que muito brilhou em todos os anos que trabalhou como cantor. No Pátio de São Pedro houve uma grande comemoração do seu aniversário, tendo uma plêiade de cantores louvando ao “Seu Lula”.
A Rádio Folha passou uma programação extensa, entrevistando vários cantores e amigos do cantor. Cada um mais interessante que o outro, falando das grandes experiências vividas pelo cantor, que saiu da cidade de Exu, Sertão de Pernambuco, em 1930. no começo da carreira, em São Paulo, ele tocava músicas estrangeiras, como valsa e outros ritmos latinos. Os amigos paulistanos então para que ficasse o governo sem dinheiro. Muitas histórias foram ditas sobre Luiz Gonzaga. Eles só mostram o quanto esse homem viveu intensamente, apesar de dizerem que no final da vida ele não tenha tido nada para se beneficiar. Os debatedores disseram que ele passou dificuldades no final da vida. Acho muito difícil; e os direitos autorais dele, pelas centenas de música feito tanto sozinho quanto em parceria com Humberto Teixeira e José Dantas, que fizeram músicas que até hoje são sucessos. Foram também entrevistados os cantores Santana e Arlindo dos Oito Baixos, muito conhecido em todo o Brasil. Arlindo contou que muitos anos atrás, perguntou a Luiz Gonzaga de deveria tocar uma sanfona grande ou uma pequena, de oito baixos. Luiz disse que ele deveria tocar uma de oito, pois as gravadoras tinham muitos sanfoneiros que utilizavam o instrumento grande. Muitos causos foram ditos pelos dois. elogiaram demais Luiz Gonzaga, como se ele fosse um deus ou semideus. Santana disse que “Gonzaga era um gênio”. De fato, era muito talentoso mesmo. Quem seria Luiz se seu talento fosse usado para a glória de Deus? Uma coisa tremenda Deus faria.
Outro caso interessante foi quando o filho dele, Gonzaga, foi preso pela Ditadura, como um subversivo; avisado, Gonzaga foi lá e o tirou da cadeia, depois de ter pedido a João Figueiredo, que comandou o SNI– Serviço Nacional de Informação– que perseguiu muito os cidadãos considerados “perigosos” pelo Regime. Chegando lá Figueiredo disse que o filho dele era um subversivo, mas em consideração a ele, Luiz, iria salta-lo; pediu então para que o pai aconselhasse Gonzaguinha. Durante o trajeto o Rei do Baião foi dando o maior sermão no filho. Depois os locutores contaram que depois de um show, Luiz foi andando pela rua do clube onde tinha feito o show, e foi interpelado por algumas coisas pessoas que pediram comida a ele; compadecendo-se, o forrozeiro entregou todo o dinheiro do apurado do show. Os músicos ainda não haviam sido pagos. Interpelado, ele disse que pelo menos naquele dia, aquelas pessoas não iriam passar fome.
Toda manhã, em algumas rádios FM ou AM, havia especiais de Luiz Gonzaga. Eu escutava muito, pois gostava muito dele quando estava longe de Cristo. Hoje em dia rareou-se mais as rádios que ainda passam especiais desse cantor.
Certa vez um irmão contou num Simpósio de missões, que um irmão tinha uma coleção dos discos de Gonzaga. Esse mesmo irmão tinha muita vontade de ser batizado, porém não conseguia alcançar essa vitória. De tanto insistir com Deus, teve uma resposta inusitada. Deus disse a ele que se livrasse de Luiz. O Senhor estava se referindo à sua coleção de discos do Rei do Baião. Depois que ele cumpriu a promessa. Achei muito interessante esse testemunho. A homenagem se estendeu até à madrugada. Estão querendo botar Luiz Gonzaga no Livro dos Recordes; é bem capaz que eles consigam. Pelo que vi nas conversas com esses radialistas, Gonzaga é mesmo o deus deles.

NO PARQUE

É muito gratificante ir com a família para o parque, ou praça. Quem é casado precisa realmente fazer isso. Além do mais, se gasta um preço módico. Você se diverte e gasta quase nada. Fui num Domingo desses. Havia muitas crianças lá. Os brinquedos são bem variados. Há desde balanço, dos mais variados formatos até castelinhos em forma de escorrego. Os garotos sobem por uma escadaria e atravessa uma ponte movediça até a outra pequena escadaria e entra num foguetinho, descendo por um escorrego. Vai pessoas de todo tipo, de todas as classes sociais.
Os pirralhos se esbordam lá, parece que estão no paraíso. Minha filha ficou com medo dos patos; tem medo de quase tudo ,ela. Brincou somente nos escorregos mais baixinhos. Há outros lá, mas são altos, difíceis para ela. Só vai brincar neles quando fizer quatro ou cinco anos. Eu fiquei com certa vontade de brincar também, lembrando da época de criança, quando minha irmã me levava para brincar nos parque também. Minha mãe nunca foi de levar a gente para brincar nas praças e parques. Minha infância foi consumida nas igrejas. Ia para quase todas que minha mãe ia. Naquele tempo a idéia de crente se divertir era um absurdo. Por isso que não tenho muitas lembranças de brincar com brinquedos nos parques. Nesse ponto eu sofri, infelizmente. Vou me esforçar para que minha filha se divirta mais do que eu.
Durante o trajeto ficamos olhando para umas mulheres (ou moças, sei lá.), que estavam também com seus filhos, uns meninos de três a seis anos. De cara você via logo que não eram mulheres educadas, comportadas. É o que na linguagem vulgar se chama de “courão”. Nem me perguntem o que significa. Pois as mulheres não paravam de chamar palavrão. Chegando lá, continuaram chamando; nem sequer respeitavam as crianças. Mulheres vulgares... e nada mais, como diz certo rap. Eram até bonitas, as moças, ou mulheres, bem feitas de corpo, esbeltas, mas...bonitinhas, mas ordinárias. O interessante é que para onde íamos, encontrávamos elas, no parque. Minha esposa me pedia para a gente sair de perto delas, para não ouvirmos os palavrões de suas bocas devassas.
Depois do brinquedo, fomos ver os animais. Fiquei admirado com o pavão. Aquelas penas enormes são um charme (neles, é claro). Fico pensando com Deus é criativo. É tremendo como ele faz coisas tão diversas, tão lindas! E ainda dizem que “evoluiu”. Idiotice. Nada poderia coordenar a natureza tão maravilhosa como ela é. Tão difícil quanto fazer é manter, e Deus mantém, embora o homem destrua. Mas isso é outra história. Vou marcar outra saída para o parque. Eu quero é curtir minha família.

PEQUENO ATROPELAMENTO

Eu nunca tinha visto um atropelamento ao vivo; só na TV, naqueles filmes ou então programas de curiosidades e os policiais. Vi Domingo (24). Ia à Escola Dominical no Córrego da Areia, Recife. É uma rua movimentada, dessas que não param nunca.
Pois bem. O menino vinha no mesmo lado em que eu estava, só que eu ia subindo, e eu, descendo. De repente, sem quê nem pra quê, o pirralho atravessa na frente de uma moto que ia subindo. Não estava correndo, felizmente. A pancada foi devagar. Apenas derrubou o menino no chão, sem muita gravidade. Por sorte ele estava com seus pais e seus irmãos. O pai não fez nada com ele, pois viu que o motoqueiro estava certo. Ainda bem. Já pensou se ele é um cara violento, desses que não pode nem ver que alguém está olhando para ele e quer logo brigar, meter bala? Sairia uma morte, com certeza. O pai do menino apenas mandou que ele seguisse em paz. Ele foi. O menino lá seus seis anos, no máximo. Franzino, coitado. Não sei como ele agüentou a pancada, mesmo não sendo tão violenta.
Como sempre, juntou-se aquela pequena multidão em torno dele, do menino. Esses curiosos não um problema; não fazem nada, mas ficam ali, como urubus em torno de uma carniça, ou formigas em torno do açúcar. Parece que o bichinho quebrou a perna, mas não foi nada grave. Espero que isso não estrague nem o Natal, nem o Ano Novo dele.
Tenho notado que os finais de ano estão muito violentos, ultimamente. As pessoas estão muito estressadas. Por qualquer coisa querem brigar, esculhambar todo mundo. É uma loucura. Notei também que quanto mais o mundo se moderniza, maior é a maldade no coração do homem. Se por um lado traz coisas boas, por outro, prejudica bastante. “A mão que afaga é a mesma que apedreja”, como diria Augusto dos Anjos, grande poeta paraibano. Enquanto outros ficam muito sentimentais, querendo ajudar todo mundo, há indivíduos que mantêm maus durante todo o ano. Não há sentimentos que possam superar as maldades deles. Só a graça.
Seria muito bom que esses sentimentos perdurassem por muito tempo, não só nessa época. Mas fazer o quê? O homem é mau desde o começo. A única maneira é apelar para a paz de Deus, a única realmente que perdura. Ela, sim, excede todo o entendimento.
Eu fico um pouco triste com esses finais de ano. Sim, porque logo quando terminam, acaba a ilusão da bondade. Volta-se então à dura realidade, à frieza inerente à natureza humana.
Que esse menino possa ser mais sentimental que eu (não que eu seja um rude de carteirinha, é só decepção). Ao mesmo tempo sou invadido pelo sentimento de fraternidade, pois meu coração não e de ferro, mas de carne. Alegro-me que em Cristo sou muito feliz, só nele.

HAVERÁ GUETOS NO CÉU?

Desde que houve a grande “revolução”, feita por Martinho Lutero no século XVI, aumentou muito o número de denominações em todos os lugares do mundo. Séculos antes, o imperador Constantino acabou com a perseguição ao Cristianismo e outro, proclamou-a religião oficial do Império Romano. Ratificou esse decreto, estabelecendo-o de vez.
Depois de Martinho Lutero, cresceram muito as denominações. Umas acreditando que o poder de Deus, demonstrado nos dias dos apóstolos, ainda predominava nos dias de hoje, outros, acham o contrário. Sendo o maior expoente do pentecostalismo, a Assembléia de Deus tem crescido muito nesses noventa anos. Enquanto as igrejas históricas, como a Batista, Presbiteriana, Congregacional, e a própria luterana, zombam desses “fanáticos”, como as igrejas históricas chamam os pentecostais, os pentecostais também acham que as outras erram não acreditando nessas doutrinas.
A grande rivalidade dos batistas com os assembleianos começou quando Daniel Berg e Gunnar Vingren começaram a pregar o evangelho pentecostal por aqui. Discordando firmemente desses pregadores, o pastor batista que hospedou os irmãos foi castigado por Deus, por se opor à sua obra. Até hoje as duas denominações não se bicam. Os batistas zombam dos assembleianos, imitando as línguas estranhas faladas por estes-quem quiser comprovar o que digo pergunte a quem estudou ou estuda no Seminário Batista– enquanto os assembleianos chamam os batistas de crus. Essa briga já vem de muito longe. Tem sido muito difícil unir os dois irmãos. São como Esaú e Jacó, tendo o mesmo pai, mas terrivelmente inimigos.
No livro de Efésios Paulo diz que “há uma só fé, um só senhor, e um só batismo”; porém o que se vê são irmãos se odiando e não aceitando as doutrinas pregadas por eles. Até hoje os assembleianos são proibidos de irem aos cultos dos irmãos das igrejas históricas. Embora oficialmente neguem, na prática é o que acontece. Que digam os irmãos mais antigos. Há quatro anos ou mais, era até permitido corais de ambas as igrejas se visitarem, mas hoje em dia, isso tornou-se impossível. É uma pena, pois esta prática estava servindo para unir os dois ramos. Nisso também iria entrar as outras, unindo todas, não numa só, mas pelo menos seriam mais unidos e não haveria tanta descriminação.
Fico pensando quando chegarem no céu (duvido muito que subam desse jeito), como será. Haverá no céu os Guetos, como houve na segunda Grande Guerra? Os judeus, todos sabem, viviam em bairros separados -nos guetos-que seriam para manter eles longe da raça “ariana”. Assim mesmo seria no céu, se pudessem manter assim. Haveria o bairro dos batistas, dos presbiterianos, dos congregacionais, etc. O céu seria então uma zona de guerra, com as igrejas lutando entre si para terem a atenção de Deus. Mas essa é uma hipótese tremendamente absurda. Creio que Deus não planejou isso, apenas permitiu, como Ele permitiu que na época do Antigo Testamento permitia que pudessem os homens terem várias mulheres. Jesus disse que isso era por causa “da dureza do coração do homem.” Mas não foi Deus quem planejou assim, no princípio. Da mesma forma creio que Ele não planejou haver tantas denominações evangélicas, mas permitiu que houvesse isso.
Há pastores que dizem que esse grande número de denominações é por causa da pluralidade de pensamentos e doutrinas. Eu vejo apenas como um grande defeito do homem. Temos tudo para sermos muito mais unidos, mas não é isso que acontece. Parece que existe três deuses, e não um só Deus. Nunca vi um povo de um mesmo Deus serem tão desunidos. É uma incoerência isso, das mais absurdas.
Ao longo dessa minha vida de cristão, tenho visto muitas coisas que têm agravado ainda mais essa desunião. Por exemplo, se um irmão da Assembléia vir um da batista, de camiseta, não lhes dá a paz, mas fazem um muxoxo,virando-lhe o rosto. É claro que não é todos que agem assim. Eu mesmo sempre fui contra isso; nunca apoiei essa prática. Tenho visto muitos se ufanarem por serem de tal e tal igreja, como se o fato de fazerem parte dela fosse a salvação deles. Não precisa nem dizer que isso é antibíblico. Cristo é a nossa salvação,e não outra coisa.
Eu tenho para mim que antes de Cristo vir buscar Seu povo haverá uma grande manifestação de Seu poder, vindo depois disso uma grande perseguição, que unirá todas as denominações evangélicas. Elas vão se juntar parecendo ser uma só. Vão esquecer doutrinas divergentes, vão sumir com essa ufanação de hoje em dia vigente. Vão subir como um povo só, com uma fé só, com um só Senhor. 

Nos países onde há perseguição, como na China e Cuba, os crente são mais unidos, se entendem mais. Pois eles vêem que estão sendo perseguidos por um inimigo comum: o diabo, o perturbador do povo de Deus, que o acusava de dia e de noite. Assim, penso que essa perseguição vai provar os que não são verdadeiros crentes; quem não for, não vai aguentar a pressão, negará logo o Nome de Jesus. Eu creio que será assim.
Com certeza haverá quem discorde de minha teoria. Se puderem me mostrar que estou errado, agradeço. O fato de Deus permitir uma coisa, não quer dizer que isso seja a vontade Dele, como falei acima. Eu tenho vergonha quando um não-crente me diz que fica confuso com tantas igrejas evangélicas. Isso me constrange. Eu fico sem saber explicar direito. Digo que isso remonta a Martinho Lutero, mas ele nem sempre entende. A única explicação plausível é essa. Nós deveríamos ser mais unidos. Mas se não somos, paciência, só Deus pode fazer com que isso acabe. Mas alguém pode dizer que, se Ele permitiu até agora as igrejas continuarem com essa divisão, é por que é a vontade Dele. Nem sempre é assim. Ele permitiu que o povo fosse escravo durante quatrocentos e trinta anos (Êxodo 1), não foi por que Deus não se importava com essa escravidão, tanto que Ele enviou Moisés para os libertar, como nós sabemos que foram libertos.
Quando vejo duas igrejas irmãs brigando (Abreu e Lima e Recife), fico muito decepcionado, não pelo fato de não ter maturidade para suportar isso, mas pelo fato do escândalo que essas coisas provocam no povo de Deus e nos incrédulos. Gostaria muito que eles se unissem de novo, como eram unidos antes do cisma. Li uma edição histórica do Mensageiro da Paz, onde há muitas fotos dos pioneiros. Numa delas, há a foto de Isaque Martins junto com os irmãos da igreja recifense e alguns missionários suecos, como o próprio Joel Carlson, pioneiro em Pernambuco. Há também a foto dos saudosos José Amaro, que não é do meu tempo, mas que é até hoje muito falado pelos irmãos mais antigos. Que bênção! Havia, ali, muito mais amor do que hoje. Eu duvido muito que os pioneiros Joel Carlson, Daniel Berg e Gunnar Vingren ficariam alegres com isso. Acho que eles teriam muita vergonha e lutariam contra essa desunião.
Eu sonho com o dia que essas duas igrejas se unam de novo, mostrando à sociedade que nós não somos um povo desunido, mas exemplo de amor e vivemos disseminando o amor de Deus. Às vezes encontro algum irmão de Abreu e Lima e converso com eles. Então me dizem que também não gostam dessa briga. Questionado então a razão de tais brigas, dizem-me que não é por causa do crescimento do Reino de Deus, mas sim por um outro motivo muito diferente, dizem eles. Será verdade? Se for, estão desviados do verdadeiro cristianismo, disseminados por Cristo e seus apóstolos. A preocupação devia ser para o crescimento do Evangelho, trabalhando irmanados no amor de Deus. O fato é que falamos tanto em amor, em união, mas nós mesmos vivemos em guerra. Não conseguimos nem nos entender entre nós mesmos. Não é uma incoerência terrível? É sim.
Jamais terei raiva de ninguém da igreja Batista,nem de qualquer igreja histórica ou as mais novas. Se pregarem o evangelho genuíno, são meus irmãos. Se não, também não viverei odiando eles, mas orarei para que a luz de Cristo os inunde também. Não é assim que tem de ser? Assim é o que prega a palavra de Deus. Se os batistas zombam das nossas línguas estranhas, isso é com eles e Deus, somente. Não cabe a eu revidar nem me vingar, zombando deles também. Vou procura ser o mais espiritual possível, pois do contrário, estarei sendo um tremendo crente carnal.

NÓS SOMOS O LIFE

Nascemos no Botijão, entre lutas.
Entre calma e correria havia permuta,
Mas ficamos em pé, entrementes;
Nosso Deus nunca esteve ausente:
Ele coordenou todos os fatos,
Também quebrou todos os laços,
Lançando-nos em alegria nos contrastes;
Cantamos felizes, pois somos o Life!

Não louvamos por fantasia,
Para de status ser imbuído;
Não é mera alegria
Que em nosso peito há escondido.
Louvamos por prazer em Deus,
O qual dissolveu como prometeu
todo o nosso pecado.
Ele é nosso mártir.
Honramos Cristo com todo amor
Que em nós cabe.
É esta a idéia.... Nós somos o Life!

Cantamos hinos diversos:
Romântico, Contemporâneo ou Barroco,
Porque o que está em foco
É a glória suprema do Messias
Que a alma acarecia
De todos os que ouvem;
Não importa se cantamos
Haendal,Mozart ou Beethovem.
Louvamos a Deus com arte:
Nós somos o Life!

Não foi fácil chegarmos aqui,
Mas vencemos, pois Deus assim quis.
Ele nos trouxe em Seus braços ditosos;
Ao longo das provas encheu-nos de gozo;
Não deixou frustrar nossa ideologia,
Pois o que em nosso peito havia
Realizou com amor,com prazer.
Foi tão lindo que não podemos descrever!
Nosso coração quer assim expressar-se:
Por causa d’Ele nós somos o Life.

Nossos ensaios são um culto a Deus,
Pois procuramos crescer artisticamente
E espiritualmente,
Bebendo da sua sabedoria infinita
Sentindo Sua presença,que,embora não vista,
É real,prodigiosa e esplendorosa;
Ele fala conosco, cumprirá a promessa,
Pois não mente;Ele diz:esforça-te,
Vós sois o Life.

Muitos componentes passaram por nós,
Muitos emprestaram a voz,
E deixaram saudades, e outros, vergonha....
Porém,eles trabalharam muito e agora
Seguem seus rumos, pois assim tem de ser;
Haverá ocasião de a todos rever.
Não são esquecidos aqueles que por aqui passe.
Somos diferentes, nós somos o Life!

Quando saímos vamos conscientes
Que não é só uma viagem,meramente.
Somos levitas,temos um ministério.
Esta obra é tremenda, Deus leva a sério.
Muitas coisas fruiremos,muitas bênçaos.
Vamos vivê-las,fazemos questão.
Aguardaremos,não importa o tempo que passe:
Deus nos dá paciência, nós somos o Life!

Estamos bem estruturados,
Firmes, ligados em Cristo
Nossa razão de ser, de existir;
Não vamos cochilar,não vamos dormir,
Mas estaremos alertas, pois com pressa
O Inimigo quer nossa cabeça.
Não conseguirá,venceremos o combate:
Deus é nossa força, somos o Life.

Vamos seguir adiante,avante,
Temos um alvo a atingir,combatentes!
As vitórias se seguirão...
Terminar, um dia, nossos dias irão;
Mas sempre lembraremos,
Uns nos outros pensaremos
E nesses dias tão gloriosos..!
Ficaremos firmes com todo o amor
Que para sempre em nós arde,
Pois nós, sempre seremos o Life.


NÓS, OS LIFEANOS

Somos mais de trinta pessoas
Convivendo com uma mesma ideologia
Apesar das intempéries do dia-a-dia
Prosseguimos unidos, pra ter de Deus a coroa.

Cada um com um jeito diferente de ser
Ecléticas personalidades misturando as forças
Em meio aos problemas, rapazes e moças,
Mulheres diversas, procurando bem conviver.

Estão todos neste grande coral
Usufruindo das bênçãos de Deus de forma
Maravilhosa , tendo Cristo como nosso fanal,
O Ícone Infalível que a ele nos molda.

Somos os lifeanos, guerreiros destemíveis,
Em nosso meio Deus faz coisas incríveis,
Nos mostra cada dia Sua glória.
O Life é vida, e isso é marco de nossa história.

Refletimos a glória do Senhor nosso Deus,
Esse brilho tão imarcescível e singular.
Cada momento é aproveitado grandemente,
Experiências diversas que nosso Deus nos dá.

PEDRA DA AJUDA

Desde a fundação
Nos portamos com atenção
E suspiramos por ter em mãos
A coroa que nos dará com amor
Nosso Cristo,que com fervor,
Surpreende com bênçãos
Que não se contou.
Até aqui nos ajudou o Senhor.

Já enfrentamos de tudo,
Pela cruz sofremos muito:
Perseguição, desprezo, escassez
De amor...Mas não haverá vez
De fincarmos os pés
Na lama do fracasso.
Cristo nos traz em seu regaço
E nos banha em seu resplendor.
Até aqui nos ajudou o Senhor.

Muitos entram, outros saem,
Há renovo, pois Deus faz
Cair em nós a graça
Que se espalha e ultrapassa
O limite que se esperou.
Deus coopera e nos sustenta
Com a destreza que nos doou.
Até aqui nos ajudou o Senhor.

Casados,solteiros,não importa,
O Ebenezer comporta
Todo aquele em quem Deus toca
Para sentir este ardor.
A música sai com fluência
Do peito em que não há ausência
Da alegria em que os céus nos fincou.
Até aqui nos ajudou o Senhor.


Quem disse que desistiríamos
De beber a música celeste?
sabemos que do céu desce
a comida que Elias provou.
Não andaremos só quarenta dias;
Desbravaremos caminhos com ousadia
Que o Mestre nos outorgou.
Até aqui nos ajudou o Senhor.

Não pense o inferno que nos vence,
Pois nos prepara grandemente
Para a batalha,Deus, e pela frente
Nenhum laço ficará que nos armou.
Sua paz cai em cai qual chuva em torrente.
Pra isso sua vida em nós deixou.
Até aqui nos ajudou o Senhor.

Prosseguiremos até à volta,
A Parousia gloriosa
Do Kirios que nos comprou;
Na cidade de ouro puro
Louvaremos a quem é merecedor;
Ao passarmos por seus muros
Diremos ao Redentor:
Até aqui nos trouxeste Senhor!

UMA MUDANÇA MARAVILHOSA

Aquele dia parecia ser mais um dia.Aquele cego,quem sabe, não se preparou para mais um dia monótono,mais um dia de humilhação, pois ele já estava acostumado a isso?Talvez não tivesse família e ele dormia, então, naquela rua fétida e perigosa de Jericó.Era só mais um cego entre tantos outros.Para ele seria mais uma manhã, mais uma noite, e mais uma tarde.Ele estava enganado.Vejo-o pondo-se no mesmo lugar de sempre, esperando as mesmas esmolas de sempre, e escutando as zombarias de sempre.
Não, não seria a mesma coisa.Perto dali, em Jerusalém, Jesus estava sendo seguido por uma grande multidão.Particularmente eu não creio que ele passaria por ali ´por um mero acaso.Tenho certeza que o Mestre sabia que ali estaria um cego com uma grande vontade de mudar de vida.Sim, pois a cura de sua visão não seria só uma cura, mas traria uma mudança radical em sua vida.A cura era só o começo.
Uma multidão faz muito barulho.Bartimeu possuía uma "visão" bem treinada e percebeu a diferença. “Quem passa por aí”, perguntara ele.”É Jesus, Bartimeu, lhe responderam da multidão. “Opa, peraí”, pensou. “Aí já muda tudo.”Sim, ele estava certo nisso,era agora ou nunca.Ali estava a sua grande chance!Sim ,era isso que ele mais queria, embora jamais tivesse sabido de alguém ser curado da cegueira até Jesus aparecer e começar a fazer os seus milagres. “ah, então esse JESUS faz isso mesmo que eu tanto ouço falar?”, ele pensara tantas vezes.Agora ele estava passando por ali!Aquela era a sua chance! “Só há uma coisa a fazer, dizia ele.Assim fez.
Com todo o ar de seus pulmões ele gritava, clamava por Jesus.Ele não queria saber que o estavam censurando, queria era ser curado, sair daquele marasmo!Penso na adrenalina fervilhando.Ele não parava de gritar.Deve ter gritado alto, pois seus gritos incomodavam demais.O piedoso Mestre não ficou alheio àquilo. “Tragam-no aqui”, ele disse.Trouxeram-no.Só o fato daquele cego pedir ajuda a Jesus denotava duas coisas.Primeiro, que ele não se conformava com a situação.Segundo, que ele cria em Cristo.Lógico, ele percebeu que ali não estava um homem qualquer.Creio que Bartimeu tinha tanta certeza sobre isso que foi ao encontro de Cristo fazendo planos para a sua vida.
Imaginem ele chegando diante de Cristo, já esperando e muito mais a libertação, pois aquilo não foi só uma limitação física, mas também uma prisão! Ela refletia psicológica e emocionalmente.Aquela cegueira era como uma porta fechada que o impediam de “entrar” em um mundo de oportunidades;mas ela estava prestes a ser aberta.E foi. “Que queres que eu te faça?”, cego, perguntou o Mestre. “Quero ver, Senhor”, disse Bartimeu.
Ele agora estava curado! Agora ele tinha uma ideologia, sua vida não seria mais vazia.Cristo agora tornou-se sua filosofia de vida.
Bartimeu acabara de entrar em um mundo novo.Imaginem ele vendo tudo aquilo;ele, que estava acostumado a não ver nada, a viver nas trevas.Agora ele tinha uma gama de oportunidades para usufruir.Ele agora poderia trabalhar, viajar, estudar, e viver uma vida de um modo que jamais vivera.JESUS não passa em lugar em vão. Há sempre muitas mudanças.AMÉM.

LIXO AMERICANO



O mundo hoje é uma Aldeia Global, como todos já sabem; tudo que acontece em qualquer lugar do mundo, é visto por todos. A cultura se espalha de forma fenomenal. Cada vez mais sabemos coisas sobre todos os povos, todas as culturas. Principalmente a americana, que desde os anos trinta, ou antes, tem disseminado pelo mundo sua infame cultura, “american way”, tão difundida até hoje. Principalmente nos filmes.
Chega a cansar a predominância dos filmes americanos aqui no Brasil, principalmente. O mundo tem centenas de países, mas nós somos obrigados pelas TVs a só assistir aos filmes do Tio San. Em sua maioria são filmes vulgares, sem conteúdo que preste, fazendo apologia ao sexo livre, à dissolução, à violência desenfreada. Se não bastasse tanta porcaria que a gente tem de agüentar, certa tv ainda nos obriga a assistir de novo um filme que passou no mês anterior, no mesmo horário. É um absurdo.
De vez em quando, nos cinemas de arte, há apresentação de filmes iranianos, israelenses, hindus, e de muitos outros países. A Índia é o país que mais produz filmes, ultrapassando o próprio americano. Todos esse países produzem bons filmes, mas só nos obrigam a assistir só esses famigerados enlatados yank. Ninguém merece. O pior de todos é quando o filme tem como protagonista um cachorro, macaco ou outro animal. É algo patético. Sinto como se a emissora estivesse me chamando de idiota, babaca, por assistir tanta porcaria. Filmes sem pé nem cabeça. Umas histórias paupérrimas, que não ensinam nada de bom. Os americanos são, em sua maioria, uns aloprados. Pesquisas recentes, publicada na revista Istoé, mostram que os yanks não sabem nem encontrar seu estado no mapa, muito menos um país estrangeiro. Não conhecem nada, se arrogam por serem a nação mais poderosa do planeta. Há tantos filmes de arte por aí, por que não passar eles. Filmes como “A cor Púrpura”, são para serem assistidos “ininterruptamente”. “Cinema Paradiso também é uma boa pedida, só para citar alguns. Deviam só passar filmes desses tipos”.
Até parece que há um complô, uma ligação muito forte para que essa cultura inútil perdure por aqui. Há uma tv que descaradamente louva ela. Todos os programas dela têm algum louvor a esse modo de ser, essa filosofia; de uma forma ou de outra louvam a essa cultura inútil.
Chegue numa locadora e você verá a verdade pura. Na grande maioria delas, só há filmes dos EUA. É incrível. Certa vez eu cheguei numa delas e perguntei por um filme francês, e eles me olharam como se eu tivesse falando uma língua alienígena. Só havia títulos ianks. Cada um pior que o outro. Uma violência gratuita, sem motivo algum. Penso que o cinema e a televisão têm contribuído muito para a disseminação da violência no mundo. Há um ator desses filmecos americanos que na minha opinião é um dos mais ridículos que existe, Steaven Seagal, se não me engano é assim que se escreve o nome dele. Pois é, os filmes estrelados por esse indivíduo são extremamente sem qualidade. Isso apenas para citar um ator, existe centenas, piores que ele. A pessoa que vive assistindo a esse tipo de película retrocede, emburrece seu modo de julgar as coisas. Por nada ele dá tiro em alguém quebra o pescoço, faz misérias. Violência gratuita das mais baixas.
Quem não conhece aquela série, que não sei porque, fez um sucesso estrondoso nos anos oitenta, “A Hora do Pesadelo?” E o ridículo do Jason, que matava por matar? A gente assistia a essas porcarias como se estivéssemos vendo um filme de qualidade. Depois em meados dos anos noventa, surgiu o outro duplamente ridículo “Todo Mundo em Pânico”, que os alienados assistiram para valer. Se divertindo com as desgraças alheia, como os romanos, que ficavam excitadíssimos vendo na arena os escravos se matando. Certo, é ficção, mas que fazem apologia de uma coisa da qual o mundo já está saturado: a violência. Isso só para lembrar alguns. Também aqueles filmes de Van Dame, outro violento patético. E outros e mais outros, para não ficar só citando esses filmes, fiquemos com eles.
Como brasileiros, nós estamos vacilando, pelo menos como cidadãos. Devíamos protestar mais contra esses lixos americanos. Não temos que nos conforma apenas com um tipo de cultura. Existe centenas de culturas para serem apreciadas, busquemos elas.

MINHA VIDA NO SAUDOSO CORO LIFE


Minha vida no Life tem sido uma bênção.Cresci muito nesses anos todo.Lembro que quando eu entrei era muito tímido, muito quieto, aquele cara meio deprimido, todo cabisbaixo...Deus tem operado grandes coisas na minha vida; eu cresci muito nesse coro.Eu quase não acredito que eu consegui ultrapassar as barreiras que me cercavam e impediam que eu crescesse.Vocês não fazem nem idéia de como Deus tem trabalhado em minha vida.Ele me amadureceu muito, falou muito ao meu coração.Cumpriu-se o que o salmista fala no Salmo 40: “tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo; pôs os meus pés sobre uma rocha...”.Foi lindo!
Ele foi pouco a pouco trabalhando em minha vida, tirando todo o embaraço que me cercava.Poderia ter tirado logo, mas ele quis assim, quis que eu aprendesse, tivesse experiência; um coro é uma pequena sociedade, onde acontecem muitas coisas similares a ela.Eu aprendi a conviver com as pessoas, a ouvir de novo a voz de Deus, a entender sobre o A importância do Reino de Deus, e o malefício que é o Reino de Satanás.Aprendi a cooperação, a dar importância às coisas espirituais; era um pouco exagerado em algumas coisas, mas não chegava a ser um mal em si.O coral tem me ensinado muito; aprendi com eles muito mais do que eles comigo ( se é que eu ensinei alguma coisa).Esses anos têm sido os melhores de minha vida.Foi quando eu comecei a viver, depois que voltei para Cristo e entrei no coro.O Espírito Santo me impeliu a isso, como Ele impelia Sansão “de vez em quando para o campo de Dã, entre Zorá e Estaol”. Ele queria trabalhar em mim no coro, e como trabalhou.
Lembro que eu não entrei logo, demorou um pouco, mas eu insisti, pois o Consolodor me impulsionava muito.Digo com toda a certeza que valeu à pena.Deus me moldou muito bem, pôs-me numa bela fôrma, criou em mim um coração reto diante dele.De marionete de Satanás, virei um vaso de honra, um vaso de glória.Conforme a sua imagem, eu sou o que sou hoje; preciso melhorar muito, mas a obra que ele fez em mim ninguém faria melhor, ninguém conseguiria chegar nem perto.Tive vitórias incríveis.Deus tem me enriquecido muito, tem me dado jóias muito preciosas.Voltei a fazer poesias depois que tive vontade de entrar no coro ainda desviado do caminho celeste.Lembro da emoção que foi quando a gente cantou na Josélia e eu cheguei em casa com o coração inspirado e compus o poema “Porque sou Life”; foi muita emoção para mim.Daí comecei a fazer muitas outras, para a glória de Deus.
Quando estudamos literatura, a gente se depara com uma escola literária chamada

DIAS SEM MEU BLOG

Nesses dias tenho ficado um pouco afastado do meu blog. Durante alguns dias tenho escrevido algumas coisas referentes a muitos assuntos do cotidiano e fatos bíblicos. Na verdade não tenho me afastado do computador, a não ser da internet. Não tenho acessado todos os dias, como durante as duas semanas que passei na casa de minha cunhada. Passei quinze dias em sua casa, nos quais passava praticamente o dia todo na net. Foi muito bom, graças a Deus. Fiz algumas amizades no orkut e no Messenger, que é muito difundido. Cerca de uns noventa por cento das pessoas que conversam nesses tipos de bate-papo, usa o Messenger. É muito interessante.
É incrível como a internet faz parte de nossa vida. Parece até que sempre houve isso no mundo, desde o começo, de tal modo estamos presos a essa tecnologia. Os tempos mudam mesmo.
Esses dias eu passei descansando dessa tarefa árdua de escrever. Estava muito cansado de tanto ficar com as mãos no teclado; se bem que eu não sou nenhum escritor, conheço minhas limitações. Gostaria muito de ter capacidade de escrever um livro. Parece tão fácil isso; mas só parece.
Escrever é uma arte para poucos, muito embora seja muito grande o número de livros escritos. O mal de algumas pessoas é que acham muito difícil hoje em dia aprender isso. É totalmente normal que uma pessoa não saiba fazer isso; só não deve ficar se lamentando disso. A maioria não sabe escrever também, seja o que for; cada um tem jeito para alguma coisa.
Por isso fiquei com saudades de escrever para vocês, meus poucos leitores; espero que minha volta seja com mais sucesso. Que eu escreva com mais assiduidade. Gosto de escrever para vocês. Esse ato é como uma terapia para mim. É uma coisa da qual não posso mais me desvencilhar. Estou como que preso. Que seja.
Há tantos assuntos sobre os quais eu gostaria de falar, mas acabo falando sobre um ou dois. É que dá preguiça às vezes. E olhe que eu gosto de fazer isso. Eu notei que depois que você começa, não quer parar de fazer isso. Escrever se torna algo imprescindível para você; tornou-se isso para mim. Então mãos à obra.

MANIFESTO AOS CRISTÃO CONTRA AS FALSAS DOUTRINAS

Atenção cristãos, evangélicos de todas as denominações que professam verdadeiramente o nome de Jesus Cristo. Não se deixe enganar por falsas doutrinas, não acreditem em tudo que vocês lerem ou ouvirem. Examinem com cuidado. Faça como João aconselha lá em sua primeira carta: “não creiam em todo espírito, mas examinais se eles são de Deus ou não”. Muitas heresias tem se levantado nos últimos dias, procurando o Diabo, através delas, levar muitos crentes para o inferno. Se vocês não examinarem com cuidado, serão levados por todo vento de doutrina, enganando e sendo enganados. Não é pelo fato de alguém ser um líder, que tudo quanto ele disser tem que ser aceito por nós. Isso não é verdade. O apóstolo Paulo escreveu em I Corintios 14.29: “uns falem e outros julguem. Façam sua parte, como Judas falou em sua carta uiversal. Lutem pela fé que uma vez foi dada aos santos. Abram os olhos, como os irmãos de Beréia, que tudo que os apóstolos falavam eram examinado por eles. É isso que deve ser feito com qualquer que pregar a palavra de Deus. Amém.

ANA PAULA E O DIANTE DO TRONO

De manhã podia-se escutar um programa comandado por Ana Paula Valadão, todos o dias na Rádio Melodia. É um programa onde ele aconselha, fala sobre a Bíblia, e faz outros comentários.
Conhecida por ser a vocalista do grupo DIANTE DO TRONO, ela ficou famosa no Brasil inteiro. Com uma voz melosa, chorosa mesmo, ela cativa uns, e causa repulsa em outros. A maioria dos hinos cantados por esse grupo é da autoria dela, que compõe proficuamente. Já lançou até um DVD, show gravado ao vivo. Lançou também um DVD infantil, com músicas que mais parecem feitas para adultos, sem aquela característica das músicas infantis.
Com músicas que mais parecem lamentos intermináveis, o DIANTE DO TRONO é, sem dúvida, muito perspicaz no que faz. Há músicas que duram até 10 minutos, numa repetição irritante. Se condenassem alguém a escutar esse tipo de música, confessaria qualquer pecado. Se não repetissem tanto, até que seria bom de escutar. Pelo menos para alguns, esse tipo de música não atraem em nada.
Existe até comunidades no Orkut dedicadas a esse grupo. Pelo que as pessoas dizem lá, acham essas músicas “demais”, bem feitas, enfim, o DIANTE DO TRONO é mais do que um grupo de música, é um show. Uma das músicas mais ridículas é a que repete infinitamente: “Pai, meu Pai, meu Papai”, uma oração a Deus. Pior é ficar escutando o que os vocalistas dizem, animando o auditório. Aja fôlego para agüentar essa panacéia.
As músicas desse grupo são as mais aguadas que alguém pode escutar. Não sei como alguém não fica tonto de tanto escutar as mesmas coisas para lá e para cá. Falta aquela inspiração, aquele toque divino, que dá às músicas inspiradas uma maravilhosa áurea de santidade. Algumas músicas são usadas para os devassos da “Marcha Para Jesus” brincarem o carnaval fora de época. Combina direitinho, cai como uma luva.
Não quero dar a entender no que escrevi acima, que detesto o DIANTE DO TRONO; não, não é isso, apenas não gosto da maioria das músicas desse grupo. Há até algumas bonitinhas, mas a maioria peca pela mesmice, pela falta de mais criatividade. Fora isso, é um bom grupo. Eles não pregam heresias. O que eles pregam é dentro da Bíblia, mas falta-lhes algo mais. Espero que ainda consigam.

AS MINHAS MANHÃS SÃO DE ESPERANÇA

Cada manhã quando me levanto é como se minha esperança se renovasse cada vez mais, sempre se renovando até o infinito. Cada perspectiva brilha mais intensamente como uma lâmpada que aumenta cada vez sua intensidade. Eu me alegro quando me acordo, pois é uma dádiva de Deus, o grande Maestro dessa sinfonia linda. Penso no meu futuro, nos meus sonhos, se estão perto ou longe, se estão mais difíceis ou mais fáceis de se concretizarem. Uma manhã é como Deus acariciando meu rosto e dizendo que eu renove meus intentos, que não deixe que eles morram. É nisso que penso; se bem que há dias que eu não acordo assim, são os chamados dias maus, dias que trazem consigo umas trevas medonhas. Nesses dias eu fico com medo das lúgubres perspectivas.
Então pensando nisso eu vou tomando café e deixando que os pensamentos fruam em mim, como uma queda d’água numa cachoeira. Mesmo querendo a esperança se desvanecer, continuo firme. Trabalho sempre na esperança de algo melhor me acontecer, de algumas coisas que desejo realizar, concretizarem-se. Assim eu vou vivendo meus dias guarnecidos pelos amanhãs. Mas quem seguro tudo isso não sou eu, mas Deus, o Grande Senhor do tempo e da minha vida. Não consigo fazer nada sem que eu pense se Deus vai gostar ou não, se estará me vendo ou não. Sei que a minha vida, desde que a entreguei a Cristo, e tem Ele como o Grande Ícone, o Tudo. É isso que eu sei; mas nada sei, lembrando o filósofo Sócrates. Na minha vida tudo se resolve assim, sempre assim, mas nada. O que eu faria então? Ninguém tem uma perspectiva melhor, ninguém mais. Cristo me protege de tudo: do mundo, do diabo, dos perigos de morte, das maldades do mundo, desse sistema podre... Ele me guarda sempre, em todos os momentos de minha vida, por mais fúnebre que pareçam ser. Meus dias são cheios de esperança pelo fato de eles estarem descansando em Cristo, meu Mestre.É engraçado. Enquanto estou aqui escrevendo sobre esperança e vitórias, um locutor está lendo um salmo e comentando sobre ele e falando mensagens de esperança em Deus. Combina com o que eu estou escrevendo aqui, temos então o mesmo pensamento. Deus também o ilumina. Amém. Eu não posso deixar de pensar nisso. Jamais. Vou enaltecer sempre o seu Nome. Amém. Nessa maneira de ser e de pensar vou vivendo minha vida alegre e digna. Não tenho alcançado ainda o que quero, mas sei que alcançarei numa hora ou outra. Acho que é questão de tempo. Brevemente eu estarei contando umas vitórias. Estarei feliz e radiante como uma criança num parque. É isso. É gratificante esperar quando você sabe que quem fez a promessa é infalível. Então é só esperar pela vitória

A INSOFISMÁVEL BELEZA DO SER HÉTERO

Esse mundo está cada vez mais louco. Fico olhando como as coisas estão mudando de rumo. O feio é bonito, e o bonito, feio. Mudaram mesmo os valores. Ser certo, hoje em dia, não é uma boa coisa, para muita gente. O bom mesmo, para muitos, é ser devasso ou desonesto.
Alguns segmentos, se não me engano, fazem, de vez em quando, passeatas pelo mundo a fora, falando do orgulho de  fazerem e serem determinada coisa, o que é um direito deles. O orgulho de querer parecer  "femininos". Eles têm todo o direito. Estava pensando nisso certo dia. Fazem-se passeatas proclamando por aí o orgulho de serem o que são, por que não se fazer uma passeata proclamando o orgulho de ser macho? Sei lá, os homens estão até pintando unha, passando creme, rapando os pelos, indo ao cabeleireiro; colocam creme para tudo no corpo,e são chamados de metrossesexuais, entre outras coisas.Será uma forma de feminilizar os homens? Pode ser.Mas seria uma boa fazermos essa passeata. O orgulho de ser macho.Macho à moda antiga. Devíamos fazer isso, não acham? Os machos deveriam se unir em todo o Brasil para fazerem isso. Aqui, se marcaria em um lugar, em Boa Viagem ou no Marco Zero, num dia de domingo. De preferência, um dia de sol. Antes, se convocaria, através da mídia falada e escrita, na internet, Facebook, e as demais redes. Por que não fazer isso? Eles não fazem suas passeatas e têm o maior prazer em ser o que são? Vamos nos unir, então, para que possamos difundir e defender o direito e o orgulho de ser macho, viril. Vamos fazer isso, eu convoco vocês. Somos machos e nos orgulhamos disso. Precisamos difundir nossa "ideologia" também, assim como eles difundem a deles. Vamos tomar as praças com ousadia a nós inerentes; vamos lá, é nossa oportunidade de mostrar o quanto é bom ter uma convicção, como tantos outros têm. Esse é um orgulho que a nós é muito caro, natural. Orgulho de ser macho.Repito, nada contra quem não tem esse orgulho.
Mas a esquerda quer transformar, parece, todos os héteros em homossexuais. É até proibido falar de mulher, e dizer que gosta delas. Estão ensinando as crianças que sexo, relativo ao gênero, não existe, a criança pode querer ser o que quiser,sem que os pais interfiram, e até pensam em proibir eles de ensinarem isso aos filhos. O Estado está cada mais se intrometendo na vida particular das pessoas. Nem todo mundo aceita isso, conforme uma pesquisa paga pelo próprio PT! A maioria dos brasileiros são contra isso, casamento gay. O presidente Putin também se mostrou contra isso e sofre pressões da ONU e EUA, para afrouxarem algumas leis de lá, pois chamam de perseguição aos gays, como se o homem não pudesse escolher do que deve ou não gostar. Os cristãos jamais aceitariam isso, e, os que aceitam, negam a fé com esse ato, já que a Bíblia, em várias partes, diz que isso é pecado. 
Um professor da UFRPE, quase foi execrado por lançar um livro sobre a heterofobia, falando sobre isso mesmo. Alguns homossexuais não aceitaram e se ofenderam com isso, e queimaram o livro na presença do professor, e ainda foram apoiados por pessoas que não deveriam passar a mão por cima disso. Absurdo. Devemos lutar contra isso. Ninguém é obrigado a gostar dessas coisas. As pessoas pensam diferentes. Acredito na família à moda antiga, homem e mulher. Casal é assim. Dois sexo é dupla,não casal.
Uma das formas que achei inovadora é formarmos a Sociedade Testosterônica  de Pernambuco, com sede em Recife. Não vamos discriminar ninguém, bater em ninguém, mas apenas reunir os homens, HOMENS, que são poucos hoje em dia. Nossas mulheres, filhas, esposas, noivas, namoradas e amigas, poderão participar dessas reuniões, todas que quiserem apoiar essa ideia, essa atitude de apoiar a macheza natural. Façamos isso antes que seja proibido ser macho, antes que seja crime ter tostesterona no corpo. Repito, será proibido discriminar por ser homem, pois os homens  amam são assim porque feitos por Deus.
Iremos difundir, nessa cidade, com alegria e a certeza de ser o que nós nascemos possuindo, que é a macheza dada por Deus. E somos de verdade. Orgulho de ser macho. Soa bem esse nome, não acham? É preciso ter  gosto para isso. Todos precisam se dar conta de que existe um mundo além das fronteiras das ideologias antinatural, que difere da nossa, judaico-cristã, e a querem sufocar. Vamos lá!

DE NOVO

De novo. Não acreditei.De novo. Meti a cara no chão, levei uma rasteira firme, um golpe de Karatê. Meus sonhos eu vi mostrar pra mim o sorriso cínico, de quem já esperava aquilo. Pensei eu que iria ser dessa vez, que Deus não me deixaria falhar. Falhei de novo. A quem me pergunta eu tenho medo de dizer e olhar a cara de espanto misturada com desprezo. Quem procura saber disfarço firme, quando posso. Não sei ficar mentindo por aí. Acho que agora eu quebrei a ponta do nariz, feri a cartilagem dele. Levei uma tapa na cara. A decepção foi isso pra mim, um tapa na cara. Vejam só isso.
Essa semana eu vi outros receberem carta de aprovação e me senti o mais incompetente dos homens. Eu descobri que não sou tão inteligente como diziam ou como achavam que eu era. Que pena decepcionar eles! Todo mundo via um futuro glorioso pra mim. Como se enganaram! Agora tenho vergonha de dizer a verdade a eles. Quero que eles percebam que eu não sou aquele herói, que muitas vezes pequei e falhei por aí. Também precisei pedir perdão a Deus. Muitas vezes. E Ele me perdoou. Gostaria que eles me vissem como mais alguém cujo fracasso parece inevitável. Parece. Pode ser que seja diferente. Mas duvido muito. Sinto-me como um pôr-do-sol feioso. Tantas belezas por aí. Só queria um empurrãozinho, mesmo que eu caísse depois. Pensei em como eu posso me levantar até determinada altura, mas só encontro barreiras ao meu redor. Gostaria de ser mais fingido, aí as pessoas (algumas) gostariam mais de mim. Mas não tenho aquele sorriso fingido na cara. Quando tenho fracassos, demonstro-os; quando estou alegre, é notável isso. Não gosto de simular emoções. Já perceberam meu estado qual é(ou está sendo). Fracassei de novo. Não me pergunte como, olhem minhas entrelinhas. Meus sonhos, percebi, são só uns detalhes. Eles não têm importâncias para Deus. Tenho essa impressão. Mas algo lá dentro fala umas coisas estranhas, me conduz a acreditar contra as esperanças contrárias. Minha fé já não é a mesma. Todos parece que notaram. Meus amigos me avaliam conforme o preço do capitalismo. Valho o menor pra eles. Notam que meus bens são muito escassos demais; percebam vocês. Onde mais eu posso buscar água? Quais fontes estão abertas para mim? Deixa para lá. Deus deve estar vendo tudo. Tenho alguma espereança; pouca, mas tenho. Nesse momento não vejo sinal algum. Só um vazio e uma tremenda sensação de fracasso. Se me perguntarem onde falhei direi que foi em orar demais ou acreditar de menos. Sei lá. Só sei que fracassei. Estou ainda acreditando em Deus, como um cristão que se apega qual um náufrago a uma última esperança. Lá vou eu, um fracasso que não aceita nada disso. Um dia talvez tenha orgulho de mim.